Na Passarela – Meg Cabot – #Resenha

Home/Cabeça de Vento, Livros, Meg Cabot, Na Passarela, O Blog da Mari, Resenhas/Na Passarela – Meg Cabot – #Resenha

Na Passarela - Meg Cabot - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo: Na Passarela – Skoob | Goodreads

Titulo Original: Runaway

Autor(es): Meg Cabot

Tradução: Regiane Winarski

Editora: Galera Record

Ano: 2012

ISBN: 978-85-01-09895-5

Coleção/Série: Cabeça de Vento

Volume: 3

Número de páginas: 272

[spacer size=”2″]

Sinopse: Onde se esconder quando todos sabem seu nome? Em Watts está fugindo; das notas da escola, dos compromissos de trabalho, das cobranças da família e dos amigos. Mas, principalmente, dela mesma. Uma viagem inesperada com Brandon Stark — aquele que deveria ser seu namorado, agora que Em é Nikki — faz com todos fiquem furiosos, mas ela nem pode explicar seus motivos. Pensou em chantagem? Acertou. Confira um trecho do livro aqui.

[divider3 text=”Sobre o Autor”]

Na Passarela - Meg Cabot - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMMeg Cabot já morou em Indiana, na Califórnia e na França. Trabalhou como ilustradora e é autora das séries O Diário da Princesa, A Mediadora e de Cabeça de Vento, entre outros, todos publicados pela Galera Record. Atualmente divide seu tempo entre Key West, na Flórida, e Nova Tork, com o marido e vários gatos, inclusive a de um olho só que se chama Henrietta.

[list style=”arrow”]

[/list]

[divider3 text=”Opinião da Mari”]

Terminei de ler a trilogia Cabeça de Vento e posso dizer que fiquei completamente satisfeita com a história. Como já havia dito não me agrada muito ter que esperar para ler a continuação de um livro, principalmente quando os livros intermediários – como Cabeça de Vento e Sendo Nikki – acabam sem um final. Dessa forma em “Na passarela” a minha expectativa era de poder ler um final interessante para a história de Em Watts/Nikki Howard. E Meg Cabot conseguiu mais uma vez me conquistar e me incentivar a ler mais livros escritos por ela, o desfecho da história me agradou muito e já estou pensando em qual será a minha próxima leitura da autora, a série A Mediadora ou trilogia Tamanho não Importa.

[divider]

O post tem spoilers do livros anteriores da série – Cabeça de Vento e Sendo Nikki.

[divider]

Na Passarela foi o livro mais completo da trilogia e consequentemente o que mais me agradou, o livro teve diversos pontos positivos, envolvendo temas previamente citados nos primeiros livros como os romances, as dificuldades de ser uma celebridade/modelo, além de resolver o mistério sobre Robert Stark e o transplante de cérebros. A narrativa do livro continua sendo em primeira pessoa, flui muito bem, característica dos livros de Meg Cabot e apresenta diversas referencias do “mundo atual”, nos livros anteriores as referencias já estavam presentes, mas achei que elas apareceram mais nesse livro. Amei ver a citação ao homem de ferro, visto que imagino que Robert Stark seja uma referencia ao filme/hq – Robert Downey Jr interpreta Stark o homem de ferro, praticamente impossível não fazer a associação – além de citações a Taylor Swift, Gisele Bündchen, Ryan Seacrest entre outros.

Na Passarela continua a história praticamente do mesmo ponto que Sendo Nikki terminou, de forma que senti como se realmente tivesse lendo um livro com começo, meio e fim. Mas o que mais me agradou foi a forma como tudo evoluiu, a ponto de nos últimos capítulos do livro eu parar para pensar, se o inicio de “Na Passarela” havia mesmo acontecido nesse livro ou no livro anterior. Inicialmente o livro tem um ritmo um pouco mais lento focando mais no romance das meninas, mas do seu meio para o final a busca pela verdade/justiça fazem com que o livro fique muito mais intenso, ativo e envolvente.

[note color=”#E5C1C1″]

“-Talvez tenha levado algum tempo para eu descobrir quem você realmente é agora, Em. Mas me de algum crédito. E agora que sei quem é você, definitivamente não vou deixar você partir facilmente.”

[/note]

Os romances das meninas me agradou, mas em alguns momentos me irritei com a bondade de Em, pois pensando nos outros – leia Nikki – ela acaba prejudicando seu próprio relacionamento. Nikki também é insuportável no inicio do livro, irritante exatamente como as pessoas pareciam a descrever nos livros anteriores, o que de fato não é um problema, mas uma característica da personagem, que no fundo era apenas uma pessoa carente precisando de atenção. De qualquer forma toda panela tem sua tampa e eu amei as combinações finais dos casais, ainda que não fossem as minhas opções iniciais.

Outro ponto que o livro me agradou muito foi em relação aos pais de Em, na minha resenha anterior já havia comentado, que gostaria de ver um pouco mais dos dois, queria que tivesse sido um pouco mais abordada a relação deles com Em e nesse livro aconteceu exatamente isso. É possível saber um pouco mais sobre a mãe dela e entender algumas de suas colocação, mais uma vez fiquei satisfeita. Assim como fiquei satisfeita com o desfile da Angels tão comentados anteriormente – referencia as modelos da Victoria Secrets – onde Em desfilaria com um biquíni de diamantes, enquanto Gabriel cantava “Nikki”. Duas coisas, que pensei instantaneamente com essa cena e precisava compartilhar com vocês, quem sabe alguém mais pensou a mesma coisa, rs. Primeiro me lembrei de Adam Levine cantando para a namorada no desfile da Victoria Secrets, na minha mente era exatamente dessa maneira, que Gabriel estava conduzindo o show e segundo me lembrei da música Donna dos Los Lobos. Toda vez que Gabriel cantava “oh Nikki, Oh Nikki” eu me lembrava da melodia “Oh Donna, Oh Donna”, ainda que a música pareça ser mais agitada como a de You’re so fine (Oh Mickey) da Cindy Lauper.

[note color=”#FFF2D2″]

“É o jeito como você mexe comigo … o jeito como você mexe comigo … que me faz dizer, Nikki, oh, Nikki … A questão é que, menina … apesar de tudo … eu realmente acho que … eu te amo.” 

[/note]

Como deu para perceber o livro não se focou apenas em uma única história, falou sobre todos os assuntos de uma maneira muito positiva. Não vou comentar muito sobre o final, pois não quero estragar o livro para ninguém, mas posso dizer, que apesar de já ter lido/visto situações parecidas com a do final, até um pouco mais da metade do último livro não tinha imaginado, que esse seria o desfecho. Quando finalmente entendi o que estava acontecendo, abri um sorriso no rosto, enquanto conseguia perceber tudo se encaixando perfeitamente na minha mente. Enfim se não deu para perceber ainda, recomendo a trilogia. Espero que as pessoas que leiam fiquem tão satisfeitas quando eu. Então se já leu o livro deixe nos comentários o que achou, se leu o livro ou pretende ler por minha indicação, deixa nos comentários também, que vou adorar saber.

[divider3 text=”Quote Favorito”]

“Eu só quero ser bonita”

Sei que não preciso explicar, mas escolhi esse quote, por sua intensidade, ele não é apenas o desejo da personagem, mas o de muitas meninas, que são lindas e não se dão conta disso.

[divider3 text=”Capa e Diagramação”]

Amei as capas dos livros, que seguem o padrão americano, mas acho que essa é a minha favorita, adorei o tom esverdeado da capa e o vestido utilizado por Em/Nikki é o que mais gostei – amo um pretinho básico. A diagramação continua da mesma forma que nos outros livros, seguindo o padrão da editora, páginas amarelas no tamanho um pouco menor que o tradicional 13,5 x 21.

Na Passarela - Meg Cabot - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

[divider3 text=”Nota da Mari”]

Na Passarela - Meg Cabot - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM   Na Passarela - Meg Cabot - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM    Na Passarela - Meg Cabot - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM   Na Passarela - Meg Cabot - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM   Na Passarela - Meg Cabot - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

[divider3 text=”Onde Comprar”] [list style=”arrow”]

[/list] [divider2]

O livro é uma cortesia da Editora Galera Record. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.

[divider2]

About the Author:

Mariana Garcia - A Mari! Tem 28 anos e é formada em Engenharia da Computação. Seu maior vício são as séries. Sua watchlist está lotada, mas nunca demais para adicionar um novo reality show. Nos livros assim como nos filmes seu gênero predileto são os romances e as comédia românticas (chick-lits).

3 Comments

  1. Lilica 3 de maio de 2013 at 16:25 - Reply

    Da trilogia, o livro que mais gostei foi o segundo (Sendo Nikki).

    Achei a resolução da história muito corrida, reservada mais para as páginas finais.

    ALERTA DE SPOILER

    Enrolaram tanto com a investigação e depois tudo foi resolvido de modo simples e cômodo para a Em/Nikki (ficou linda, rica e com o amor da vida dela), já que a Nikki verdadeira se conformou com o novo corpo (só com uma rápida transformação feita pela Lulu). Se fosse fácil assim, bastava toda mulher feia ir ao cabeleireiro que os problemas de auto estima se solucionariam. E ainda de quebra, ela ficou com o Gabriel Luna?
    Claro que seria muito arriscado elas trocarem de corpo novamente, mas embora a Nikki fosse irritante, pensa bem, quem é que gostaria de ver outra pessoa roubar o seu próprio corpo? Ainda mais sendo um corpo bonito? Não somente o corpo, mas praticamente a carreira de modelo dela foi arruinada. Virar empresária não tem o mesmo glamour, para uma pessoa fútil como ela era então… Isso foi um tanto decepcionante.
    A parte que foi boa foi o Stark sendo desmascarado no Ano Novo. Outra parte que achei estranha foi terem inventado do nada uma paixão entre Brandon e a assessora da Nikki, sem falar no ship Felix e irmã da Em.
    Esperava mais do fim da trilogia.

  2. Sarah Fortes 12 de março de 2013 at 15:56 - Reply

    Leia a trilogia Tamanho não Importa, é uma das minhas preferidas da Meg e mais adulta! ;D

    • Mariana Garcia 12 de março de 2013 at 22:54 - Reply

      @sarahfortes:disqus Valeu pela dica! Tamanho não importa é menor então provavelmente vou fazer o que você disse e a ler primeiro! =)

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)