Sinopse: Com Bellissima, Nora Roberts une novamente seus dois maravilhosos ingredientes: romance e suspense. Depois de ter a casa assaltada, a Dra. Miranda Jones decide esquecer o incidente, indo às pressas para a Itália a trabalho. Lá, deverá constatar a autenticidade de um bronze renascentista de uma cortesã da família Médici, conhecido como A Senhora Sombria. Especialista em autenticação de obras renascentistas, Miranda atesta como original uma falsificação. Ao descobrir a farsa, ela decide encontrar a verdadeira peça e revelar o motivo para tal crime. Para isso, terá a ajuda do sedutor ladrão Ryan Boldari, que pensa em se apoderar da obra de arte. Porém, os planos dos dois ruem quando um perigoso assassino começa a persegui-los… Primeiro Capítulo.

Ficha Técnica

Titulo Nacional: Bellissima – Skoob

Titulo Original: Homeport –  Goodreads

Autor(es): Nora Roberts

Tradução: Maria Clara Mattos

Editora: Bertrand Brasil

Ano: 2011

ISBN: 978-85-286-1440-4

Número de páginas: 546

Sobre a Autora

J.D ROBB é o pseudónimo que a autora Nora Roberts usa para escrever a Série Mortal, ela é uma das autoras mais queridas e respeitadas no mundo. Ela tem mais 200 milhões de cópias vendidas em todo o mundo e cerca de 90 bestsellers na lista do New York Times. Nora sempre teve a vontade de escrever romances policiais, mas durante muito tempo seguindo as instruções de sua agente ela somente ficava concentrada em romances contemporâneos. Os editores da Editora Putnam, para a qual trabalhava, sugeriu que ela adotasse um pseudônimo para esse tipo de livro e eles os publicariam um por ano. As inicias J.D. vieram se seus filhos Jason e Dan, enquanto o Robb é uma abreviatura de seu próprio nome.

Opinião da Nathy

Não é segredo para os leitores do blog que Nora Roberts é a minha autora internacional favorita entre todas, então ler mais um livro dela lançado aqui no Brasil não foi nenhum sacrifício, mas confesso que pela falta de tempo e até mesmo coragem Belissima estava parada na minha estante tinha um bom tempo e com toda a certeza me arrependo de não ter lido antes porque mais uma vez Nora Roberts mostrou que consegue pegar qualquer temática e transformar em uma ótima história, nesse livro já é possível observar que ela tem uma excelente linha de pensamento para mistérios também.

A narrativa é da que mais gosto em terceira pessoa e em cada momento a cena gira em torno de um dos personagens. Esse é outro ponto que gosto nas histórias dela, sempre tem a personagem principal, porém os demais não são deixados de lado e aparecendo poucas vezes, todos são muito bem explorados e desenvolvidos. É possível saber o que cada um está pensando e sentindo naquele exato momento.

Miranda aumentou a potência do aquecedor até o máximo, programou o CD player para tocar La Boheme, de Puccini, e acelerou, o som do carro nas alturas.

Miranda Jones é uma mulher de personalidade incrível, teve uma infância conturbada e continua carregando essas marcas até o presente momento tem que lidar com uma família totalmente disfuncional e uma maldição que cerca todos os ‘Jones’. Mas, como se não bastasse tudo isso alguém está tentando acabar com sua carreira que construiu com muito suor e trabalho, por essas e outras que admirei demais a personagem lutou a até o último minuto pelas verdades e pelos motivos que estavam levando a pessoa a fazer isso com ela, em alguns momentos ela desaba e é realmente tocante, pois está se libertando de algo que ficou preso dentro dela durante muito tempo. Amo quando personagens femininas são assim decididas e lutam pelo que acreditam e querem. Acredito que por ler tantos livros dela não foi difícil identificar quem estava por trás de todas as coisas ruins que aconteceram com Miranda.

Ryan Boldari como todo homem das histórias da diva é um homem maravilhoso, ainda não ganha do perfeito Roarke, mas tem as características essenciais para fazer todas as mulheres suspirarem. Começando por sua aparência que é realmente atraente e seu jeito sedutor deixa as pernas moles, porém é a sua personalidade que mais chama a atenção. Ele é um ladrão de artes que tem o trabalho de roubar o Da Vinci da instituição de artes da Miranda é através dele que tudo começa a se desenrolar para descobrirem o que está realmente acontecendo, porém em determinado momento do livro somente conseguia vê-lo indo atrás das respostas por afeição a Miranda, ainda que tenha feito algo que realmente não gostei e fiquei com vontade de dar um belo soco em seu rosto.

-Vinte anos sem uma mancham e agora isso. Tudo porque eu confiei em você.

-Confiou em mim – Ela ficou de joelhos, os dentes cerrados. Não havia espaço para o medo ou a ansiedade quando a raiva percorria com tanta força e rapidez sua corrente sanguínea – Você me roubou, seu filho da mãe!

Andrew Jones é o irmão mais velho de Miranda que após um terrível divorcio acabou se entregando a bebida e se tornando um alcoólatra, minha opinião com ele ficou bem dividida ao mesmo tempo em que ficava com pena e torcendo para que saísse dessa situação logo também sentia muita raiva porque parecia que estava conformado com tudo o que estava acontecendo e não buscava uma solução.

Annie é a melhor amiga dele com que teve um envolvimento na adolescência, uma mulher realmente batalhadora que também passou por muitas coisas, mas não deixou que isso a abalasse nenhum um pouco. Ao ver a situação do amigo tenta ajudar da melhor forma possível começando por não servir mais nenhuma bebida de seu bar e ainda tenta fazê-lo ver a que ponto havia chegado. Torcia demais para que os dois ficassem juntos. Porém, ainda tinha Elise a ex-mulher de Andrew que parecia ainda amá-lo, na minha visão ela era somente uma mulher egoísta que estava amando ver o sofrimento do rapaz por ela, cheguei a cogitar em certo ponto que tinha sido a própria Elise quem estava dando bebidas para o Andrew quando estavam casados somente para mantê-lo cativo dela.

Ele ainda tá preso a ela, Miranda. Por que não estaria?

Por fim, falando um pouco sobre as famílias de Miranda e Ryan, vou começar pela a dela. Simplesmente odiei os pais de Miranda e Andrew, pessoas realmente frias e que não tinham o menor tato para serem pais, entendia que Miranda precisava do orgulho e da admiração dos dois, no entanto, nunca iria conseguir isso de nenhum deles, pois os dois somente se preocupam com si mesmos e com que as outras pessoas podem falar sobre sua família, afinal de contas o nome sempre vem em primeiro lugar.

Já a família de Ryan é hilária, não teve um momento que eles não aparecessem que não me acabasse de rir. Ainda mais quando a Miranda acaba no meio dessa louca família a reação dela quando descobre que a mãe de Ryan sabe que o filho é um ladrão e de certa forma apoia isso foi de matar. Adorei cada um deles e torço demais para que tenha um livro sobre os irmãos dele, principalmente sobre sua irmã policial.

-Espera um minuto – Miranda levantou as mãos – Ótimo? É isso que você tem a dizer? Ótimo? Quer dizer que você sabe que seu filho é um ladrão?

-O que? Você acha que eu sou idiota? – Maureen secou as mãos antes de levá-las à cintura – É lógico que eu sei.

Se ainda não leu nenhum livro da Nora Roberts recomendo todos e, principalmente, a série mortal que já foi resenhada aqui eu garanto que não vão se arrepender. Lembrando que estão para sair pela a editora Bertrand Brasil o livro Sobrevivência Mortal, Mentiras Genuínas e Lírio Vermelho.

Quote Favorito

Capa e Diagramação

A capa é perfeita com essa moça de lado com o rosto um pouco encoberto retratando exatamente como via a personagem Miranda, bem diferente da capa americana fiquei bem dividida entre as duas, pois ambas fazem total sentido com a história e o local na qual se passa, no entanto se visse as duas em uma livraria com certeza compraria com a capa brasileira. A diagramação é simples com as páginas brancas, cada capítulo iniciando em uma nova página e sempre que tem uma mudança de cena no mesmo capítulo é dando um espaçamento e começa com a inicial grande. A única coisa diferente é na marcação das páginas que é em cima no canto direito e logo abaixo do número tem uma pequena mulher.

 

Nota da Nathy