Insurgente – Veronica Roth – #Resenha

Home/Livros/Resenhas/Insurgente – Veronica Roth – #Resenha

Sinopse: Na Chicago futurista criada por Veronica Roth em Divergente, as facções estão desmoronando. E Beatrice Prior tem que arcar com as consequências de suas escolhas. Em Insurgente, a jovem Tris tenta salvar aqueles que ama – e a própria vida – enquanto lida com questões como mágoa e perdão, identidade e lealdade, política e amor.

Ficha Técnica

Insurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Titulo Nacional: Insurgente – Skoob

Titulo Original: Insurgent – Goodreads

Autor(es): Veronica Roth

Tradução: Lucas Peterson

Editora: Rocco Jovens Leitores

Ano: 2013

ISBN: 978- 85-7980 -155-6

Série: Divergente

Volume: 02

Número de páginas: 511

Sobre a Autora

Insurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Aos 24 anos de idade Veronica Roth é uma escritora norte-americana. Ela é muito conhecida por sua trilogia de livros intitulada Divergente. Veronica possui uma licenciatura em escrita criativa pela Universidade Northwestern. Casada, desde 2012 vive em Chicago.

Booktrailer

Opinião da Nathy

A trilogia Divergente é a minha distopia favorita, pois a Verônica Roth conseguiu juntar os elementos que estavam em evidência no mundo literário e transformar em um novo mundo apaixonante, além do que ela se manteve firme em um ideal e não mudou bruscamente de um livro para o outro como já vi acontecer em várias trilogias/séries não somente com a temática de distopia. O leitor não necessita voltar ao primeiro livro para relembrar o que aconteceu, pois a leitura já começa com eles ainda dentro do trem durante a sua fuga, isso foi um ponto positivo, porque parecia que não tinha parado a leitura, era como se fosse um livro único. Nesse livro tenho que ressaltar que não achei que a autora soube ter a dosagem certa para o romance e o drama, ficou muito focado na luta, porém quando tem as cenas românticas compensa tudo.

Como padrão do primeiro livro a narrativa continua sendo em primeira pessoa e como sou uma apaixonada pelo Four ficaria mais feliz se os livros fossem em sua visão, mas a boa noticia é que a autora irá lançar vários contos com a visão dele nas cenas dos dois primeiros livros e no último será intercalado entre Tris e Four, o que me faz ficar com o coração apertado sobre o que poderia acontecer com esses dois. Enfim, voltando para a narrativa que em muitos momentos foi cansativa, amei o livro, mas a demora em descrever as cenas e os muitos pensamentos de Tris fez que até a metade do livro a leitura fosse um pouco cansativa.

Uma hora atrás, nada do que aconteceu me parecia real. Mas, agora parece.

A cada novo livro fica impossível não fazer as comparações sobre como os personagens se comportavam nos primeiros livros e como amadureceram, nesse segundo livro tenho que confessar que não tinha mais os mesmos sentimentos em relação à Tris, por diversos momentos ela me irritou com seu jeito independente de ser, porque acabava se fechando e distanciando as pessoas que estavam sempre presentes em sua vida. Entendo suas atitudes ainda que não concorde, acredito que em cada nova ação tomada por ela ficou mais evidentes como não consegue ter somente um sentimento e que é completamente diferente até mesmo dos Divergentes. A forma como ela luta pelo que acredita continua sendo incrível, amo a forma como não demonstra seu medo diante de seus inimigos ainda que por dentro esteja morrendo de vontade de sair correndo.

Seu par romântico desde o primeiro livro Four/Tobias continua sendo a pessoa mais fofa e ao mesmo tempo forte de todos os personagens de distopias. Nesse livro a autora aborda um novo modo de pensamento do personagem que faz com que seu relacionamento com Tris fique meio balançado, mas acho que estão aprendendo com seus erros e se tornando ainda mais forte. Com a personalidade incrível desse homem não teria como nenhum outro tentar formar um triângulo amoroso e isso me agrada demais, durante a leitura teve um momento que pensei que a autora pudesse estragar tudo, mas como disse antes ela se manteve firme e me deixou muito feliz. Nada e nem ninguém pode abalar a confiança de um no outro quando eles se propõem a lutar por esse relacionamento.

Você estava certa – ele disse, baixinho, equilibrando-se sobre as pontas dos pés. Ele abre um pequeno sorriso – Sei quem você é. Só precisava que me lembrassem disso.

A luta nesse livro está mais forte e os grupos estão divididos, não confio em ninguém que apareceu nesse livro e ficava realmente irritada quando a Tris ou o Four o faziam, quando na verdade somente podiam confiar naqueles que estavam ao seu lado, apesar de que nesse caso nem na família era possível de se confiar, mas não vou contar muitas coisas senão vou acabar soltando Spoilers. Mas, posso dizer que o pai do Four não é nenhum um pouco confiável e me irritou demais ao longo do livro o que somente me fez amar cada vez mais as atitudes tomadas pelo Four. Também não confio na líder da Amizade, assim como não confio na líder do povo rebelde, acho que todos eles têm algum motivo obscuro e somente estão usando os jovens como peões para atingirem esse objetivo.

O final do livro é ainda mais surpreendente, durante toda a história o leitor ficar curioso para saber qual é o grande mistério por trás das lutas entre essas facções e quando é revelado fiquei muito boba e esperando para saber o que a autora irá aprontar no final da trilogia, porque com certeza mais pessoas irão morrer e os leitores ficaram com o coração partido. O plot que colocou para o último livro foi bem criativo e torcendo demais para que saiba desenvolver de forma excelente ao contrário de algumas autoras que me fizeram sentir vontade de bater nelas.

Agarro a mão de Tobias, e há um momento de silêncio, como uma respiração presa. 

Se você ama distopias, romances e histórias que mexem com sua imaginação essa trilogia é uma boa pedida, estou muito ansiosa para o lançamento doo último livro e também para o filme que terá sua estreia em Março de 2014 e pelo que vi no trailer será de deixar todo mundo de queixo caído e arrepiado.

Quote Favorito

Insurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Insurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMApesar de não entender muito bem qual é a lógica dessa árvore com suas folhas caindo na capa, a acho muito bonita. Não existem ainda muitas versões para serem comparadas, mas na Inglaterra os livros estão sendo relançados com capas pretas simplesmente maravilhosas. Estou louca para comprar a versão britânica, por sinal essa é a primeira trilogia/série que quero a versão nacional e a internacional. Nessa capa também há diferença com relação a cor. No primeiro livro era um azul beirando uma parte mais metálica e agora temos um verde misturado com preto. A diagramação é simples com cada capítulo iniciando em uma nova página. O nome dos capítulos é marcado da mesma forma que o nome na capa do livro. E ao contrário da maioria dos livros da editora suas páginas são amarelas. As duas primeiras páginas também contém o nome do livro em preto e branco, um cuidado por parte da editora, que gosto demais. Não tive problemas com a tradução.

Nota da Nathy

Insurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMInsurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMInsurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMInsurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMInsurgente - Veronica Roth - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Datas de Lançamento

  • Divergente – Divergente #1 – Lançado em 2012 – Resenha
  • Insurgente – Divergente #2 – Lançado em 2013
  • Convergente – Divergente #3 – Lançado em 2014
  • Quatro: histórias da série Divergente – Divergente #4 – Lançado em 2014

Onde Comprar

By | 2017-01-06T14:49:48+00:00 09/10/2013|Categories: Livros, Resenhas|Tags: , , , , , , , |17 Comments

About the Author:

Nathalia Garcia - A Nathy! Tem 26 anos e é formada em Psicologia. Seu maior vício são os livros, ela sempre está se arriscando em um novo desafio literário. Romances policiais são os seus favoritos. Nos últimos anos também se tornou uma apaixonada por séries. Once Upon a Time e Criminal Minds são algumas das suas séries prediletas.

17 Comments

  1. Ruth 26 de maio de 2015 at 15:41 - Reply

    Essa capa roxa definitivamente não tem lógica com a história do livro. Inclusive, achei feia. *OOOO* As folhas caindo se refere a Amizade, onde tem uma grande árvore, que todos se reúnem e também foi o refúgio da Tris e Four e o traidor (SPOILER) do Caleb U_U’

  2. Marco Padilha 10 de novembro de 2014 at 16:07 - Reply

    Oie gostei muito do site, bem interessante ! 😉

  3. Fran 10 de outubro de 2014 at 18:31 - Reply

    Ouvi Spoilers de Convergente. E fiquei com um certo receio de ler :/ Li Divergente recentemente e acabei Amando!!
    Não sou muito fã da Tris. Não gostei do jeito que ela tratou o Al no primeiro livro :'( Mas em resumo a histórias é fantásticas, os personagens são incríveis e o final me deixou com sentimento de “quero mais”.
    Amei a sua resenha. Ficou fantástica! Fiquei com ainda mais vontade de ler Insurgente 🙂

    • Nathalia Garcia 18 de outubro de 2014 at 13:48 - Reply

      Oiee Fran!!!

      Divergente começou muito bem e ainda estou com o sentindo de não saber o que pensar do final rs. Eu gosto dela e não gosto. Porque acho que tem uma força e coragem incrivel. A autora escreve tão bem que nos faz ter vontade de ler mais e mais!!

  4. belabomb 4 de agosto de 2014 at 00:27 - Reply

    Nossa, não costumo comentar mas amei sua resenha! Me identifiquei muito..
    Vou admitir que demorei muuuito tempo pra terminar esse livro, me irritei com a Tris várias horas, maaas as ultimas 150 paginas voaram, rs! E o final valeu pelo livro inteiro..
    Compartilho muitos pensamentos com voce: amo o Four, e também tava torcendo que não tivesse nenhum triangulo amoroso pq né.. Four é vida 🙂
    Beijos
    ps: também não curti muito o filme Divergente 🙁

    • Nathalia Garcia 4 de agosto de 2014 at 12:39 - Reply

      Oieee Bela!!

      Também demorei um pouco com esse livro justamente pela narrativa ficar um pouco cansativa. A Tris faz cada cagada que nossa dá vontade de bater nela. Concordo o final valeu por todo o livro.
      Acho que já cansou o triângulo amoroso, está na hora de mostrar os verdadeiros sentimentos das personagens e dos mocinhos, porque acaba com o nosso coração a decisão dos atores e as vezes nem todo munod gosta do final por não ficar com aquele que queria.
      Beijos

  5. anima 29 de julho de 2014 at 16:51 - Reply

    Achei o insurgente melhor do q o primeiro livro, eu tb fiquei sabendo sem querer algumas coisas d convergente por spoilers. Mto chato

    • Nathalia Garcia 29 de julho de 2014 at 17:00 - Reply

      Uma pena quando vemos spoilers assim tanto que ainda nem li o último livro. Não me sinto preparada rs.

  6. Jéssica Barbosa 7 de abril de 2014 at 18:54 - Reply

    Eu vi o filme e fiquei muito decepcionada. Mil vezes melhor o livro.

    Jéssica – http://livrosseriesemelodias.blogspot.com.br/

  7. brendha 6 de abril de 2014 at 15:31 - Reply

    infelizmente, fiquei decepcionada com o filme

    • Nathalia Garcia 7 de abril de 2014 at 09:55 - Reply

      Ola Brendha é uma epna saber disso, ainda não tive a oportunidade de assistir Divergente, mas estou muito ansiosa por ele. Beijos =)

  8. Hellen Rodrigues 24 de outubro de 2013 at 09:49 - Reply

    Ow muito bem mesmo os livros, e algo que realmente me chamou a atenção e me surpreendeu, foi o fato de não haver um triângulo amoroso, acho que os personagens se completam e não precisam do velho clichê de um terceiro na história. Os personagens secundários, também são bem elaborados.

    • Nathalia Garcia 25 de outubro de 2013 at 15:36 - Reply

      @hellen_rodrigues:disqus Nem me fale que isso foi a melhor coisa que a autora poderia ter feito com os livros fico meio farta de todos os livros terem um triângulo amoroso, isso somente mostra que um livro pode fazer sucesso sem ter essa famosa formula. Four consegue completar a Tris de uma forma que nenhum outro menino que fosse introduzido no livro conseguiria fazer.

  9. Camila Morais 10 de outubro de 2013 at 12:30 - Reply

    Nathy, vou discordar de você com relação ao Four, todo sentimento de irritação que você teve com a Tris eu tive com ele, principalmente quando se tratava da relação dele com a mãe. Acho que ele várias vezes não fez muita questão de tentar entender que ela era diferente de todos. Ótima review e até o próximo livro.

    • Nathalia Garcia 15 de outubro de 2013 at 14:11 - Reply

      @disqus_m6DUsMWyr9:disqus Não posso tirar a sua razão flor, ele realmente ficou um pouco chato quando se tratava de sua mãe, foi como disse eles não deveriam confiar em pessoas que acabaram de conhecer e deixar de acreditar um no outro. Até o próximo flor =)

  10. Juliana Franco 9 de outubro de 2013 at 20:37 - Reply

    Nathy, eu achei esse livro muito parado em comparação com Divergente.
    Valeu pelo Four.

    • Nathalia Garcia 15 de outubro de 2013 at 14:12 - Reply

      @juliana_franco:disqus Verdade Juh, em Divergente a coisa andou que nem senti, nesse teve seus momentos cansativos =(
      Beijos

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)