Sinopse: Lucy Sullivan vai se casar. Essa moça de 26 anos, que divide o apartamento com as amigas, não tem dúvidas de que, dentro de poucos meses, estará entrando na igreja durante uma linda cerimônia. Só falta um pequeno detalhe: o noivo! Mas Lucy, que nem ao menos tem um namorado e nunca foi muito bem-sucedida no amor, confia piamente nas previsões de sua cartomante e iniciará uma busca incessante (e hilariante) por um bom partido: ele só precisa ser bonito, inteligente e não lembrar em nada o seu pai. A escritora Marian Keyes – após os imensos sucessos Melancia, Férias! e Sushi – está de volta com Casório?! , um romance contagiante e engraçadíssimo.

Ficha Técnica

Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: Casório?! – Skoob

Titulo Original: Lucy Sullivan Is Getting Married – Goodreads

Autora: Marian Keyes

Tradução: Renato Motta

Editora: Bertrand Brasil

Ano: 2011

ISBN: 978-85-286-1130-4

Número de páginas: 642

Sobre a Autora

Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Marian Keyes é uma escritora irlandesa. Ela já vendeu mais de 22 milhões de exemplares no mundo todo e foram traduzidos para 32 idiomas. Graduou-se em Direito na Universidade de Dublin, porém nunca exerceu a profissão. Morou em Londres durante doze anos e depois retornou para a Irlanda. Quando viva em Londres ora trabalhava como garçonete ora em escritórios. Foi nessa mesma época em que começou sua luta contra o vicio do álcool. Casou-se em dezembro de 1995, atualmente vive em Dublin com o marido.

Opinião da Nathy

Não sou uma pessoa que curte o gênero chick-lit justamente por ficar morrendo de raiva das personagens principais, situações em que a maioria acha divertida me deixa muito irritada, mas quando fiz o desafio ano passado dos 30 livros em 30 dias resolvi colocar ao menos um livro desse estilo. Já tinha tido um contato por terceiros com os livros da Marian Keyes e por isso não estava muito empolgada para iniciar a leitura, mas havia chegado o dia e não poderia voltar atrás, me arrisquei nessas 642 páginas e foi até mesmo melhor do que estava imaginando. Não posso dizer que amei o livro, porém não odiei, foi uma história legal que algumas partes poderiam ter sido diferentes.

Em Casório, a história gira em torno de Lucy, uma mulher que junto de suas três melhores amigas decidiu ir ver uma cartomante e ver o que o futuro lhe reserva. Nesse dia descobre que irá casar até o final do ano e suas amigas com quem divide o apartamento ficam com medo disso uma vez que se Lucy for embora acaba essa mordomia. Gostei do fato da autora abordar algumas temáticas de uma forma mais séria, eu achei bem diferente da situação dos livros da Sophie Kinsella, afinal como você iria reagir se soubesse o que o futuro lhe reserva? Provavelmente tentará impedir algumas coisas e tentar fazer com que outras aconteçam mais rápido, ou até mesmo ficar tão presas nessa ideia que não consegue enxergar o que está de verdade na sua frente. Por ser um livro muito grande em um determinado ponto a leitura ficou muito densa e não via a hora de terminar, poderia muito bem ter sido cortado ao meio que seria ótimo.

Quando Meredia me lembrou de que nós quatro, do escritório, havíamos marcado uma consulta com uma taróloga na segunda-feira, meu estômago se revirou ligeiramente, pelo choque.

Como disse acima nesse gênero literário as mocinhas sempre conseguem me irritar demais, porque não consigo visualizar como alguém pode ser tão limitada. Mas, ainda que Lucy precisasse de um empurrão muito grande e perceber que sua amiga não era uma amiga de verdade, que seu pai também não é quem aparenta ser e seu namorado tem os mesmo comportamentos que seu amado pai, eu consegui compreender que ela não queria enxergar o que estava diante de si porque teria que lidar com tudo aquilo e não estava preparada. Uma mulher bastante ingênua que faz tudo o que os outros desejam, muitas vezes parecia sem uma opinião formada, mas que somente precisava de uma direção para perceber que tinha que mudar a sua vida, que não podia mais viver em função das pessoas ao seu redor. Identifiquei-me demais com a personagem e assim como ela tive que passar para entender muitas coisas.

Já Daniel é aquele mocinho que você se apaixona logo no começo, torce para que fiquem juntos, mas ele toma uma decisão um tanto precipitada e coloca tudo a perder. Um homem que dorme com uma mulher diferente a cada dia, mas pela certa está disposto a mudar, não sei como a Lucy não percebeu que ele estava querendo algo mais que amizade, afinal ele sempre estava presente em sua vida e disposto ao que fosse para fazê-la feliz. Mas, como disse ele toma uma atitude que fiquei com tanta e não consigo entender porque os homens nesses livros simplesmente não lutam pelo que desejam ao invés de ficar com outras mulheres até as que eles desejam perceba que existe.

Era a minha culpa que eu quisesse um namorado tipo ‘metamorfose ambulante’, um homem que fosse várias coisas conflitantes ao mesmo tempo?

Os pais de Lucy também aparecem com algumas situações bastante conflitantes e ainda que entendesse os motivos de Lucy de querer ficar ao lado de seu pai, nesse caso a sua mãe merecia mais compreensão e amor de sua filha. Tem momentos que ficamos cegos nas atitudes daqueles que amamos e acabamos procurando alguém em que despejar toda a culpa, foi essa a sensação que tive com os sentimentos de Lucy em relação aos seus pais. Para uma pessoa mudar ela precisa querer demais e não era o caso de seu pai, infelizmente é possível na leitura ver um homem que podia ter tudo destruir seu relacionamento com a família em um piscar de olhos.

Assim como Karen e Gus dois personagens bem odiosos. Assim que Gus faz sua primeira aparição no livro e Lucy morre de amores pelo rapaz tive certeza que ele estava tramando alguma coisa, logo começa a ter comportamentos bem estranhos e não explica nada a sua namorada e ainda age como se tivesse toda a razão para agir daquela forma, um comportamento bem parecido com o do pai dela. Já Karen é aquela mulher que tem que chamar a atenção de todos os homens, não importa que tenha um namorado maravilhoso que faz tudo por ela tem que ter a atenção dos outros homens e esfregar isso na cara das suas amigas, nem preciso dizer o quanto detestei a personagem.

Aquilo não era um bom sinal. É claro que ainda estava muito cedo para alguém ter morrido naquele dia, não é? E ela definitivamente não estava ligando para bater papo. 

Esse livro além de ter passagens divertidas, aborda os temas de forma série e a autora não tem medo de arriscar, por isso recomendo o livro para todos aqueles que curtem o gênero.

Quote Favorito

Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COMA capa é muito bonita e faz jus ao começo da história, porém confesso que não me chama muita atenção, ter um baralho na frente e a palavra casório em cima não me remete a nada. Bem diferente da capa internacional que tem a moça jogando um buquê para o alto, nesse caso não tenho nenhuma preferência. O baralho ainda está em revelo e em outra textura. Já na diagramação, as páginas são brancas e cada capítulo inicia em uma nova página.

Nota da Nathy

Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Casório?! – Marian Keyes – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Onde Comprar