Sinopse: A tenente Eve Dallas recebeu um chamado do Centro para Reconstrução Corporal e Cirurgia Estética: uma popular estrela de cinema foi espancada até seu rosto virar uma massa disforme de sangue. Para sorte da polícia, a vítima acabou matando seu agressor ao tentar se defender. No interrogatório, a tenente confirma se tratar de um caso inconfundível de assassinato em legítima defesa. Tudo se complica, porém, quando, antes de sair do prédio, outro caso macabro surge das mais sinistras sombras: o dono da clínica acabou de ser encontrado morto em seu consultório. Foi assassinado com um estilete cravado em seu coração. Qual será a relação das duas mortes? Será que o assassino da artista foi realmente morto no ataque? Com a tenacidade de sempre, Dallas segue seus instintos mais obscuros e mergulha no passado das duas vítimas, descobrindo os segredos de um mundo, até então, desconhecido para ela. Primeiro Capítulo.

Ficha Técnica

Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: Origem Mortal – Skoob

Titulo Original: Origin in Death – Goodreads

Autora: J.D. Robb

Tradução: Renato Motta

Editora: Bertrand Brasil

Ano: 2013

ISBN: 978-85-286-1709-2

Série: Série Mortal

Volume: 21

Número de páginas: 486

Sobre a Autora

Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

J.D ROBB é o pseudónimo que a autora Nora Roberts usa para escrever a Série Mortal, ela é uma das autoras mais queridas e respeitadas no mundo. Ela tem mais 200 milhões de cópias vendidas em todo o mundo e cerca de 90 bestsellers na lista do New York Times. Nora sempre teve a vontade de escrever romances policiais, mas durante muito tempo seguindo as instruções de sua agente ela somente ficava concentrada em romances contemporâneos. Os editores da Editora Putnam, para a qual trabalhava, sugeriu que ela adotasse um pseudônimo para esse tipo de livro e eles os publicariam um por ano. As inicias J.D. vieram se seus filhos Jason e Dan, enquanto o Robb é uma abreviatura de seu próprio nome.

Opinião da Nathy

Em vista de que esse é o vigésimo primeiro volume da série publicado no Brasil, e os livros devem ser lidos em sua ordem de publicação, as informações abaixo podem ser consideradas SPOILERS.

Não é segredo para ninguém que Nora Roberts é a minha autora favorita e sua série mortal uma das melhores já escrita, ainda que afirmem que a autora tem um grupo de pessoas a ajudando a escrever e tudo mais, nada seria publicado se não passasse por seu consentimento e o seu próprio toque. Uma mente realmente perspicaz que consegue misturar romance e mistério em uma série de mais de trinta livros sem perder a mão, não tenho um que goste mais ou menos porque todos são excelentes e me fazem querer ficar lendo e relendo sem parar.

Em Origem Mortal a detetive Eve Dallas está investigando outro ‘assassinato’ quando é chamada para uma ocorrência no mesmo local, acaba se deparando com um dos médicos mais famosos do mundo com uma facada em seu coração. Mas, nada é realmente como parece logo o leitor junto com Eve é sugado para um mundo completamente diferente onde a clonagem humana não é apenas uma ideia entre os cientistas e sim algo muito mais profundo e diabólico. Com a narrativa em terceira pessoa é possível se identificar com Eve nesse longo processo, mas também com os assassinos que vão surgindo no caminho e nenhuma empatia pelas vitimas. Novamente Nora conseguiu abordar uma temática bem próxima da realidade e mostrar o quanto isso na verdade pode ser prejudicial para todos.

A menina deixou este mundo cinco anos, três meses, vinte dias e seis horas depois de ter nascido.

Nos livros anteriores sempre tive algum problema com algum comportamento de Eve, mas nesse uma espécie de estalo aconteceu na minha mente e me identifiquei muito mais com suas ações e compreendendo porque tinha esse jeito. Uma pessoa que veio ao mundo e não conheceu nada além de desgraça e maus tratados teria cicatrizes muito mais profundas e uma vez que elas são liberadas é praticamente impossível lidar com todos os sentimentos sufocantes de uma única vez. Ela foi muito mais corajosa do que estava esperando e não somente porque investigou até o fim esses assassinatos, porque teve cenas envolvendo famílias muito mais fortes que por um momento pensei que fosse correr e fugir de tudo aquilo. Eve nesse livro mostrou uma compaixão por diversas pessoas que me surpreendeu demais, não por achar que ela não fosse capaz de ter esses sentimentos, mas não ela tê-los demonstrado tão abertamente.

Quanto ao Roarke estava em uma abstinência muito grande desse homem não via a hora de pegar o livro para poder matar um pouco dessa saudade, qual não foi a minha surpresa ao descobrir que ele estava viajando eu quase morri do coração e novamente senti exatamente como Eve na falta dele. Quando se reencontram tive as mesmas borboletas no estômago de tantas saudades. Nem preciso dizer que continua sedo um homem lindo e poderoso, colocando o mundo aos pés de Eve no que precisar, mas assim como ela demonstrou uma compaixão Roarke mostrou um lado novo, um homem que estava precisando mais do que nunca de um carinho e entendimento para tanto sofrimento. Adorei o fato de o livro abordar também o dia de Ação de Graças e com isso tem um novo lado desse homem, que de verdade é o desejo de consumo de todas as mulheres.

Ele a fez se sentir fraca, como se, subitamente, seus joelhos tivessem virado geleia. Tolice, quanta tolice, pensou Eve. Ele era seu marido, e ela o conhecia como nunca tinha conhecido outro homem. Mesmo assim seus joelhos pareciam ceder, e seu coração lhe martelava o peito. Bastava olhar para Roarke e tudo aquilo acontecia. 

Para não ficar na mesmice resolvi trocar um pouco meu foco de raiva e dessa vez foi a detetive Peabody, não me levem a mal adoro a personagem e é muito divertida em vários momentos, porém em todos os livros ela fica querendo dar selinho no Roarke, ou dizendo como ele é lindo, ou como deve ser bom de cama, sem contar que também fica dando selinho em Charlie, não sei se isso é algum costume para os americanos de ficar dando selinho em todo mundo, mas sou possessiva demais nesse ponto e se Eve e McNaby não ficam irritados com esse comportamento pode deixar comigo. Outro ponto que me irritou foi o fato dela não estar pensando como detetive nesse livro, tanto que tive que parar e analisar o caso com a Mari porque não fazia nenhum sentido as mortes estarem acontecendo pelo o que ela tinha falado justamente pelo fato da ordem dessas mortes.

Outra personagem que me tirou dos eixos e que mereceu ouvir poucas e boas de Eve foi a doce Dra. Mira. Está sempre tentando ajudar a Eve com seus traumas de infâncias e também com os assassinatos, mas não adianta quando a pessoa é muito próxima das vitimas não vai querer aceitar as evidências que estão diante de si e depois das palavras duras que disse a Eve minha raiva triplicou, de verdade se fosse a minha terapeuta não voltava mais nela por ter confidenciado coisas e ela simplesmente jogá-las em cima de mim em momentos bastante inoportunos.

E olhe só para você! – Ele agarrou Peabody pelos dois braços e lhe deu um selinho quente e demorado nos lábios – Como vai, detetive Delícia?

Se você já acompanha a série mortal recomendo demais que continue fielmente porque a cada livro é uma surpresa diferente, já você que ainda não começou e tem suas dúvidas se a série vale mesmo a pena recomendo demais que dê uma chance e venha se divertir com Eve e Roarke contra esses assassinos sem coração.

Quote Favorito

Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COMAcho que essa foi a capa que mais compreendi o significado do desenho e que mais fez sentido, novamente a capa está muito mais bonita que a original. Dessa vez o nome da autora está em verde tendo um contraste com a figura que ficou bem legal. A diagramação continua no padrão da série, com as páginas brancas, os capítulos cada um iniciado em uma nova página e encontrei alguns problemas de digitalização que chegou me incomodar um pouco durante a leitura.

Nota da Nathy

Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Origem Mortal – J.D. Robb – #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Datas de Lançamentos

  • Nudez Mortal – Lançado em 2004 – Resenha
  • Glória Mortal – Lançado em 2004
  • Eternidade Mortal – Lançado em 2005
  • Êxtase Mortal – Lançado em 2005
  • Cerimônia Mortal – Lançado em 2006
  • Vingança Mortal – Lançado em 2006
  • Natal Mortal – Lançado em 2007
  • Conspiração Mortal – Lançado em 2007
  • Lealdade Mortal – Lançado em 2008
  • Testemunha Mortal – Lançado em 2008
  • Julgamento Mortal – Lançado em 2009
  • Traição Mortal – Lançado em 2009
  • Sedução Mortal – Lançado em 2010
  • Reencontro Mortal – Lançado em 2010
  • Pureza Mortal – Lançado em 2011
  • Retrato Mortal – Lançado em 2011 – Resenha
  • Imitação Mortal – Lançado em 2011 – Resenha
  • Dilema Mortal – Lançado em 2012 – Resenha
  • Visão Mortal – Lançado em 2012
  • Sobrevivência Mortal – Lançado em 2013 – Resenha
  • Origem Mortal – Lançamento previsto para 2013
  • Memory In Death – Lançamento previsto para 2014
  • Born In Death – Sem previsão de lançamento
  • Innocent in Death – Sem previsão de lançamento
  • Creation in Death – Sem previsão de lançamento
  • Strangers in Death – Sem previsão de lançamento
  • Salvation in Death – Sem previsão de lançamento
  • Promises in Death – Sem previsão de lançamento
  • Kindred in Death – Sem previsão de lançamento
  • Fantasy in Death – Sem previsão de lançamento
  • Indulgence in Death – Sem previsão de lançamento
  • Treachery in Death – Sem previsão de lançamento
  • New York to Dallas – Sem previsão de lançamento
  • Celebrity in Death – Sem previsão de lançamento
  • Delusion in Death – Sem previsão de lançamento
  • Calculated in Death – Sem previsão de lançamento
  • Thankless in Death – Sem previsão de lançamento

Onde Comprar