Cinquenta tons de liberdade – E.L. James – #Resenha

Home/Cinquenta tons de liberdade, E.L. James, Intrínseca, Livros, O Blog da Mari, Resenhas/Cinquenta tons de liberdade – E.L. James – #Resenha

Sinopse: Quando a ingênua Anastasia Steele conheceu o jovem empresário Christian Grey, teve início um sensual caso de amor que mudou a vida dos dois irrevogavelmente. Chocada, intrigada e, por fim, repelida pelas estranhas exigências sexuais de Christian, Ana exige um comprometimento mais profundo. Determinado a não perdê-la, ele concorda. Agora, Ana e Christian têm tudo: amor, paixão, intimidade, riqueza e um mundo de possibilidades a sua frente. Mas Ana sabe que o relacionamento não será fácil, e a vida a dois reserva desafios que nenhum deles seria capaz de imaginar. Ana precisa se ajustar ao mundo de opulência de Grey sem sacrificar sua identidade. E ele precisa aprender a dominar seu impulso controlador e se livrar do que o atormentava no passado. Quando parece que a força dessa união vai vencer qualquer obstáculo, a malícia, o infortúnio e o destino conspiram para transformar os piores medos de Ana em realidade.

Ficha Técnica

Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: Cinquenta de liberdade – Skoob

Titulo Original: Fifty Shades Freed – Goodreads

Autora: E.L. James

Tradução: Maria Carmelita Dias

Editora: Intrínseca

Ano: 2012

ISBN: 978-85-8057-216-2

Série: Cinquenta Tons

Volume: 03

Número de páginas: 543

Sobre a Autora

Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

E.L James é ex-executiva de TV e mora em Londres. Casada e com dois filhos, desde pequena sonhava em escrever histórias pelas quais os leitores se apaixonassem, mas adiou esse sonho para se concentrar na família e na carreira. Quando finalmente arranjou coragem para escrever, pôs no papel seu primeiro romance, Cinquenta tons de cinza. Na sequência, publicou os outros dois livros da série, Cinquenta tons mais escuros e Cinquenta tons de liberdade, completando a trilogia que se tornou o maior fenômeno editorial dos últimos anos.

Opinião da Nathy

Finalmente resenha do último livro da trilogia Cinquenta Tons e praticamente os mesmos sentimentos que tive nos dois primeiros livros tive nesse. A autora consegue finalizar de uma forma muito boa, mas senti que seguiu ainda mais a história de Crepúsculo com todos os acontecimentos e os personagens pareciam que estavam regredindo em seus comportamentos o que me deixou um pouco frustrada. Também parecia ter mais do mesmo do primeiro livro, enquanto no segundo conseguia ver uma completa evolução nesse a história central parecia que queria preencher um espaço ate chegar ao desfecho, não sei se foi o meu prefiro, mas no geral a trilogia foi bem elaborada tanto que trouxe com ela uma nova leva de romances eróticos e não deixou falhas que pudessem ser preenchidas com um quarto livro, foi a medida certa três livros porque se houvessem mais com certeza ficaria uma coisa cansativa.

Dessa vez a história se inicia com Ana curtindo sua lua-de-mel com seu amado marido e relatando ao leitor como foi esse acontecimento, a partir desse ponto várias histórias começam a ser abordadas e diversas situações de um casal nada perfeito para conciliar as suas personalidades. A narrativa continua sendo na visão da Ana e mesmo Christian tendo explicado algumas de suas atitudes teria preferido se esse último livro fosse a terceira pessoa ou então que tivesse o ponto de vista de ambos os personagens, tive a sensação de estar perdendo demais os pensamentos do Christian.

Meu marido, meu belo e sensual marido, sem camisa e usando uma bermuda feita de calça jeans cortada, está concentrado em um livro que prevê o colapso do sistema bancário ocidental.

O que dizer sobre Anastasia Grey e a sua predisposição em entrar em confusões mesmo que essa não seja a sua intenção. Nesse livro ela parece ainda mais atrapalhada e perdendo um pouco da personalidade que conquistou no segundo livro. Fiquei irritada em alguns momentos por recuar em uma briga com Christian quando claramente ele está errado, fica arrumando desculpas para o seu comportamento e aquela coisa de ficar falando Ah Christian meu cinquenta tons me tira do sério porque sabemos de tudo isso desde o primeiro livro não tem necessidade de ela ficar relembrando. Perto do final ela toma uma atitude muito corajosa que me fez ficar pensando que também estava sendo burra em não pedir ajuda, mas essa é a Anastasia que todos amamos – e odiamos. A mesma coisa que percebi no segundo livro ela fez nesse, não consegue se impor diante do Christian quando realmente tem assuntos importantes para discutir e bate de frente quando é algo sem importância.

Agora o Christian não muda, ele até pode ter seus momentos para se abrir com a Ana, mas continua guardando alguns dos sentimentos mais profundos dentro de si. Mas, isso era possível relevar porque ele nunca foi de conversar tão abertamente, então ainda está aprendendo essa nova habilidade. Quem já leu esse último livro será capaz de entender a minha raiva e frustração em um determinado ponto com o Grey porque quando um obstáculo aparece não deveria voltar para antigos hábitos e sim seguir em frente e enfrentar a situação. Porém, não conseguia ficar muito tempo irritada ainda mais quando dava para perceber todo o seu sofrimento por causa de Ana e por saber que não pode culpar outra pessoa que a si mesmo por tudo isso. Gosto demais do Christian e até entendo a obsessão das mulheres por ele.

Sra. Grey… minha esposa. Nosso objetivo é satisfazer.

Também alguns detalhes importantes sobre o passado de Christian são revelados de uma forma que quero abraçar e cuidar do Christian, porque por mais que ele relate as coisas que vivenciou é ainda mais difícil quando é mostrado para o leitor o que uma criança teve que passar e como isso existe de verdade. Todos os motivos do mundo do porque o Christian ser tão quebrado foi justificado ao longo da trilogia e gostei da forma que autora abordou, somente acho que ela deveria ter deixado claro que não é toda pessoa que tem esse estilo de vida está nisso porque tem alguma trama do passado ou coisa do gênero, mas porque gosta cada um com seu gosto. O Christian necessitava de tudo aquilo porque era uma válvula de escape e os seus comportamentos ate hoje é tudo influencia desse passado que com ajuda está conseguindo deixar de lado, pelo amor que sente pela Ana.

Vocês se lembram de Jack Hydes? Ele era o chefe assediador da Ana na SIP e que acabou sendo mandado embora ao tentar fazer um movimento para cima da mulher do Grey, eis que ele retorna nesse livro com mais sede de vingança e disposto a qualquer coisa para prejudicar não somente o Grey como toda a sua família. Continua sendo um personagem nojento, sem nenhum caráter que quer justificar o seu comportamento para cima do Grey por pura inveja. Não acho que ele fosse merecedor de nada que o Grey lutou para conquistar, mesmo porque o Jack nunca passou pelo que o Christian teve que lutar, dessa forma não senti nenhuma pena do sujeito e queria que algo muito pior tivesse acontecido com o personagem, alguns merecem sofrer demais.

Mamãe! Mamãe! Mamãe está dormindo no chão. Ela já está dormindo há muito tempo.

E a família do Grey continua mais do que presente nos livros tendo direito a tudo. Elliot e Kate, por mais que esses dois tenham ficado juntos muito antes da Ana e do Christian não consigo colocar uma fé nesse romance sempre fiquei com o pé atrás achando que em algum momento iriam se separar e continuar vivendo a vida como se nada tivesse acontecido, talvez porque o livro não fosse sobre eles fiquei com essa sensação de vazio, também tem o fato de que não sou a maior fã da Kate. A Mia também parece de forma a conseguir seu espaço e se colocar em uma pequena confusão, assim como a Ana, mas a personagem em si não foi tão bem explorada.

Por fim, vou comentar de dois personagens que gostei demais ao longo dos livros, Ray e Taylor. O pai da Ana eu sei que é o padrasto, mas ela o considera seu pai de verdade então que assim seja. Ele é muito fofo e sempre tentando deixar todas as pessoas a vontade ao seu redor e cuida de Ana de uma forma tão carinhosa que é lindo de ver, foi outro personagem que nos pregou um susto enorme e que deveria levar umas palmadas como as que Grey deseja dar na Ana. E o Taylor continua o mais fofo dos personagens ficando na linha de frente de quem ama para salvá-los de qualquer perigo.

Ele também está bravo com você.

Recomendo a trilogia completa para todos que gostam de romance erótico e não ligam para um pouco de suspense e ação durante as histórias. Como disse não é a história mais perfeita do mundo, mas consegue divertir, irritar e encantar os leitores.  Aconselho a ler na ordem por causa dos spoilers.

Quote Favorito

Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMA terceira capa continua no mesmo padrão das anteriores com esses tons em cinza e as algemas, a única diferença com a capa original é a frase falando que é primeiro lugar no New York Times Bestseller, mas que não fez nenhuma falta. As algemas também tem cena específica com ela justificando de diversas formas o porquê estar na capa, não somente pela cena, mas sim porque finalmente ambos estão conseguindo de livrar das marcas do passado e serem felizes, mesmo sabendo que problemas não vão faltar.  Minha única reclamação com o livro em si é a textura porque quando pega nela fica com as marcas dos dedos e parece que fica engordurado. Os nomes do livro e da autora estão em relevo ganhando um destaque. Quanto a diagramação, as páginas são amarelas, cada capítulo inicia em uma nova e continua tendo marcação quando se trata dos e-mails ou pensamentos.

Nota da Nathy

Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Cinquenta tons de liberdade - E.L. James - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Datas de Lançamento

  • Cinquenta tons de cinza – Lançado em 2012 – Resenha
  • Cinquenta tons mais escuros – Lançado em 2012 – Resenha
  • Cinquenta tons de liberdade – Lançado em 2012

Onde Comprar

About the Author:

Nathalia Garcia - A Nathy! Tem 26 anos e é formada em Psicologia. Seu maior vício são os livros, ela sempre está se arriscando em um novo desafio literário. Romances policiais são os seus favoritos. Nos últimos anos também se tornou uma apaixonada por séries. Once Upon a Time e Criminal Minds são algumas das suas séries prediletas.

3 Comments

  1. Fiama 24 de março de 2015 at 00:25 - Reply

    Ainda não conhecia sua página, amei! Ah, acabei de ler o livro Cinquentas tons de Liberdade. Concerteza meu favorito de toda a trilogia se eu pudesse disser aos outros pulem pra ele que vcs vão amar eu faria, pena que vc perde todo o contesto da história( assim não da neh ) Pois bem, é fato amei seu último parágrafo dizendo que o livro não e perfeito, isso traduz tudo, pq mesmo as pessoas achando o livro uma merda, cara! Ele não é perfeito e uma distração ( mas quem sou pra falar alguma coisa)… Concordado também que a única coisa que faltou na história foi ter a visão mais do Grey, preferiria mesmo que ele tivesse sido escrito em terceira pessoa.. Taylor <2, e Mia?? O que aconteceu com ela ficou com Ethan ou foi atrás de mais confusão!? Só faltou isso!! Kkk

  2. Amanda Freitas 23 de julho de 2014 at 07:02 - Reply

    Apesar de amar loucamente essa trilogia, tem vezes que eu também tenho um pouco de raiva da Ana. Da vontade de dar um beliscãozinho nela pra se impor mais. E eu também queria que esse último livro fosse na visão do Christian, ou então que a autora fizesse mais três livros na visão dele, porque eu senti que conhecia demais a Ana e conhecia de menos o Christian. Acho que foi apenas isso que faltou nessa trilogia, agente conhecer profundamente o Sr. Grey. Mas no geral, eu amei a trilogia e acho que são os livros mais sensuais já lançados.

    • Nathalia Garcia 23 de julho de 2014 at 22:57 - Reply

      Exatamente, ela precisa parar com certas atitudes, assim como ele deveria revelar mais coisas para nós rs. Sonho com um livro na versão do Grey aquele trecho que ela disponibilizou não foi o suficiente. Quero demais ver todos os seus pensamentos. Eu também amo esses livros e quero muito ver o filme logo rs.
      Beijos

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)