A Menina mais Fria de Coldtown – Holly Black – #Resenha

Home/A Menina mais Fria de Coldtown, Holly Black, Livros, O Blog da Mari, Resenhas/A Menina mais Fria de Coldtown – Holly Black – #Resenha

Sinopse: No mundo de Tana existem cidades rodeadas por muros são as Coldtowns. Nelas, monstros que vivem no isolamento e seres humanos ocupam o mesmo espaço, em um decadente e sangrento embate entre predadores e presas. Depois que você ultrapassa os portões de uma Coldtown, nunca mais consegue sair. Em uma manhã, depois de uma festa banal, Tana acorda rodeada por cadáveres. Os outros sobreviventes do massacre são o seu insuportavelmente doce ex-namorado que foi infectado e que, portanto, representa uma ameaça e um rapaz misterioso que carrega um segredo terrível. Atormentada e determinada, Tana entra em uma corrida contra o relógio para salvar o seu pequeno grupo com o único recurso que ela conhece: atravessando o coração perverso e luxuoso da própria Coldtown. Primeiro Capítulo

Ficha Técnica

A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Titulo Nacional: A Menina mais Fria de Coldtown – Skoob

Titulo Original: The Coldest Girl in Coldtown – Goodreads

Autora: Holly Black

Tradução: Ana Death Duarte

Editora: Novo Conceito (Grupo Editorial Novo Conceito)

Ano: 2014

ISBN: 978-85-8163-403-6

Número de páginas: 384

Sobre o Autor

A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Holly Black é uma escritora norte-americana que mora em West Long Beach, New Jersey. Ela ficou mundialmente famosa após escrever a série de livros As Crônicas de Spiderwick. Holly Black é uma grande colecionadora de livros raros de folclore. Em seus primeiros anos de vida ela morou em uma mansão abandonada em estilo vitoriano com sua mãe, que contava a ela várias estórias de fantasmas e fadas. Seu primeiro livro, Tithe: A Modern Faerie Tale, foi muito bem recebido pela crítica e foi publicado no outono de 2002. A escritora só viria a ficar famosa um pouco mais tarde, com o lançamento do livro As Crônicas de Spiderwick: O Guia de Campo, primeiro livro da série As Crônicas de Spiderwick.

Booktrailer

Opinião da Nathy

Desde o booktrailer lançado pela a editora estava querendo ler esse livro. Não sabia exatamente o que esperar, pois sempre escuto ótimos elogios para essa autora. Mas, não tinha lido nada anteriormente da mesma. Então estava ansiosa ao mesmo tempo em que estava com receio de não ter uma boa experiência. Imagina o conflito da pessoa mesmo antes de iniciar o livro. Então depois do Circuito Novo Conceito eu decidi que seria uma das minhas próximas leituras da editora. E que grata surpresa foi esse livro. Gostei demais e quero ler os outros livros dessa autora.

O enredo gira em torno de Tana. Após acordar na banheira na casa de um de seus amigos após uma festa ela nem imagina o que aconteceu enquanto estava desmaiada. A casa foi atacada por vampiros e todos os seus amigos estão mortos. Pelo menos isso é o que ela acredita até entrar em um dos quartos e encontrar Aidan – seu ex-namorado – amarrado em uma cama. E outra pessoa também acorrentada. Ela poderia simplesmente virar as costas e ir embora, mas não poderia deixar Aidan com um destino incerto. E quando percebe que o mesmo foi infetado e após armar a fuga dos três acaba sendo mordida de leve por outro vampiro. Agora tem que ir para o único lugar que pode ser seguro para eles. Mas, essa pode ser uma viagem sem volta.

Andei dando uma olhada no goodreads e algumas pessoas nos responderam no twitter dizendo que esse livro não tem uma continuação. Mas, eu necessito demais que a autora continue relatando o que aconteceu com todos esses personagens. Foram poucas páginas para um enredo maravilhoso. A história é muito bem desenvolvida e não achei que teve alguma falha. Conforme ia lendo as páginas mais queria saber de tudo. A pesar do número de páginas a história flui bem e não achei que ficou cansativa em alguma parte. Tudo isso deve ter acontecido com no máximo duas semanas, mas pareciam que estava há meses nessa jornada.

Uma festa. Certo. Ela estivera em uma festa ao pôr do sol.

Com a narrativa em terceira pessoa o leitor conhece Tana. Essa personagem principal é o oposto das mocinhas que encontramos nessas histórias de vampiros. Tem uma personalidade muito forte e faz tudo pensando no melhor para as pessoas ao seu redor. Poderia estar até ajudando a um vampiro e tendo que lidar com seu ex-namorado querendo ser um. Mas, de forma alguma queria deixar de ser humana. Gostei desse fato de ela querer manter a sua humanidade mesmo que estivesse encantada por um deles. Ou até mesmo por esse mundo. Ela é bem focada e parece saber exatamente o que significa se tornar uma vampira. Muito corajosa, mas se coloca em algumas situações bem complexas. Algo que me deixou animada é que era mesmo bem humana, cometendo erros e pagando por eles. Não como aquelas mocinhas que se acham demais e na verdade são bem irritantes.

E obviamente eu tinha que me apaixonar pelo Gavriel. Um vampiro misterioso que tem seus próprios motivos para querer ir para Coldtown. Ele tem uma personalidade única. Mesmo quando parecia louco em suas atitudes conseguia ser sexy e explicar seus motivos. teve uma parte que me lembrou um pouco o Dimitri de Academia de Vampiros quando passa por uma situação difícil. Ele tem dentro de si uma paixão muito grande e cheguei até a pensar que poderia abrir mão de tudo por conta disso. Agora o Aidan conseguiu me tirar do sério em todos os momentos. Muito egoísta e se achava o conquistador de todas as mulheres. Mesmo como humano tinha umas atitudes tão infantis. Não desejei que ficasse com a Tana.

Seus gritos serão mais doces do que os gritos de amor de outro alguém.

E o que dizer daquele que deveria ser o vilão da história. Lucien tinha tudo para ser um vampiro cruel que drena o sangue de suas vitimas e sai dando risada. Mas, não fez nada demais. Na verdade passou boa parte do tempo temendo o Gavriel por causa dos erros do passado. Não consegui gostar dele, por não ter uma personalidade forte e decidida. E geralmente gosto do pessoal desse outro lado. A mulher dele então nem tive tempo de conhecer e nem me importei na verdade.

Tem outros personagens que parecem ter um papel legal. Como Jameson que ajuda a Tana em todos os momentos que necessita. Está disposto a invadir uma casa cheia de vampiros pela sua amiga. A Valentina também quer fazer de tudo para ver as pessoas bem. Agora Pearl a irmã de Tana tem atitudes bem inconsequentes. Mas, quem pode julgá-la afinal de contas a menina tem doze anos e se deixou levar pelo que a televisão mostrava do mundo dos vampiros. Teve alguns que apareceram, mas nem em importei com seus destinos.

Obrigada. Não tenho como lhe agradecer o suficiente.

Claro que recomendo para todos que gostam de uma boa história envolvendo vampiros e aventura. E até mesmo com uma pitada de romance.

Quote Favorito

A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

A editora manteve a capa original e eu achei linda demais. Não adianta que a capa é dos fundamentos que me fazem querer comprar um livro. E essa é bem chamativa com os tons em azul misturando com o preto. A mão da menina ficando branca e o nome do livro em preto ganhando destaque. Enquanto o nome da autora está abaixo em branco sem muito destaque. Na lombada também tem a mão da menina com o nome do livro em preto. E o nome da autora e do livro está em branco.

A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Quanto a diagramação também está linda. Ao longo das páginas tem pingos e riscos representando o sangue. Cada capítulo inicia em uma nova página. E as folhas são amarelas, mas não tão grossas. Mas, não chega atrapalhar a leitura. A fonte do número dos capítulos é diferente e desenhada. Não tive nenhum problema com a tradução ou digitalização. E se teve algum erro me passou despercebido e não prejudicou a minha leitura.

Nota da Nathy

A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Menina mais Fria de Coldtown - Holly Black - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Onde Comprar

  • A Menina mais Fria de Coldtown: Submarino | Saraiva | Americanas | Martins Fontes | Cultura | Fnac | Ponto Frio | Extra
  • A Menina mais Fria de Coldtown (E-book):  Amazon | Cultura | Itunes | Saraiva |

“O livro é uma cortesia da Editora Novo Conceito. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.”

About the Author:

Nathalia Garcia - A Nathy! Tem 26 anos e é formada em Psicologia. Seu maior vício são os livros, ela sempre está se arriscando em um novo desafio literário. Romances policiais são os seus favoritos. Nos últimos anos também se tornou uma apaixonada por séries. Once Upon a Time e Criminal Minds são algumas das suas séries prediletas.

One Comment

  1. lucas 20 de agosto de 2014 at 08:37 - Reply

    muito massa eu quero kkk beijos

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)