De Repente Ana – Marina Carvalho – #Resenha

Home/De Repente Ana, Livros, Marina Carvalho, O Blog da Mari, Resenhas/De Repente Ana – Marina Carvalho – #Resenha

Sinopse: Ana decidiu viver permanentemente na Krósvia, e tudo está às mil maravilhas. Além do namoro cada vez mais sério com Alexander, ela tem um emprego fixo na embaixada brasileira e dedica parte de seu tempo às meninas do Lar Irmã Celeste. Mesmo cumprindo tantos compromissos sociais como princesa, Ana nunca foi tão feliz. Porém, de uma hora para outra, tudo muda. Seu pai, o rei Andrej Markov, sofre um grave acidente e vai parar na UTI. Não resta alternativa: Ana vai ter que assumir o trono da Krósvia e governar a nação. Pouco – ou quase nada – familiarizada com a função, ela vai precisar de ajuda não só para reger o seu país, mas também para manter perto de si aqueles que ama. Muita gente está interessada no seu fracasso. Primeiro Capítulo.

Ficha Técnica

De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: De Repente Ana – Skoob

Titulo Original: De Repente Ana – Goodreads

Autora: Marina Carvalho

Tradução: Livro Nacional

Editora: Novas Páginas (Grupo Editorial Novo Conceito)

Ano: 2014

ISBN: 978-85-8163-535-4

Série: Simplesmente Ana

Volume: 02

Número de páginas: 317

Sobre a Autora

De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Marina Carvalho nasceu em Ponte Nova, Minas Gerais, conhecida como a terra da goiabada. Adora queijo, rock progressivo, pudim de leite condensado, café com pouco açúcar e filmes com finais felizes. Formou-se em Jornalismo na PUCMinas e exerceu o cargo de assessora de comunicação de uma empresa por sete anos. Hoje é professora de língua portuguesa e literatura na Escola Nossa Senhora Auxiliadora. Marina ama ler, seja um bom livro policial, um chick-lit despretensioso ou o jornal do dia. Quando era criança, todos os meses esperava ansiosamente pelas revistinhas da Turma da Mônica. A mãe incentivou desde bem cedo o seu gosto pela leitura. Ela mora em sua cidade natal com o marido, os dois filhos e Lilica, uma poodle de 14 anos que pensa ser um pitbull.

Opinião da Nathy

Quando foi divulgado que Simplesmente Ana teria uma continuação fiquei com o coração muito apertado. Por ter gostado demais do primeiro livro fiquei pensando o que mais seria contado e estava com medo de que alguma coisa pudesse acabar ficando perdida no meio da história. Mas, obviamente estava querendo ler e saber qual seria a nova confusão que Ana iria se colocar. E nossa foi uma mistura de emoções muito grande. Gostei tanto quanto do primeiro, ainda que tivesse meus momentos de irritação que não tive no primeiro livro. E acabei ficando ainda mais apaixonada pelo Alex. Acho que as autoras nacionais conseguem fazer mocinhos como ninguém – ainda mais a Marina Carvalho.

Já tinha ouvido um spoiler do que acontecia no livro e fiquei meio cismada. Não lido muito bem com spoilers porque me fazem desistir de alguma leitura. Mas, persisti e acabou que o spoiler que havia escutado não aconteceu da forma que a pessoa havia relatado. Então fiquei da expectativa de quando iria acontecer e quando finalmente chegou à cena fiquei meio boba pela forma que foi desenvolvida. Ainda bem que a pessoa não contou direito porque assim não estragou em nada a minha leitura.

Nesse segundo livro a Marina conseguiu mais uma vez desenvolver uma linda história de amor. Gostei que teve romance na medida certa, mas não ficou somente focado nisso. A Ana teve que amadurecer devido à nova posição que estava ocupando. Alex teve que lidar com o forte temperamento da namorada. As intrigas e conspirações rolaram soltas. Sou dessas que se a história fica centralizar no romance e naquele drama de mal me quer bem me quer acaba por me irritar demais. Acredito que por isso goste tanto dos livros da autora, tem todos os elementos sem deixar o principal de lado. Sem contar a falta de triângulo amoroso. Mostrando que não é preciso colocar toda aquela tensão para o livro ser bom.

Alex apertou seus dedos ainda mais na minha pele, mas pelo menos suavizou a expressão.

Alguns anos se passaram desde a descoberta de Ana ser a filha do rei Andrej da Krósvia. Sua vida continua sendo uma agitação muito grande. Cheia de eventos sociais e comunitários. Mas, sempre encontra um tempo para ficar junto do homem que mais ama nesse mundo. Enquanto, está de férias no Brasil com Alex tem um sonho com seu pai. A partir desse momento não consegue ficar tranquila pensando que alguma coisa de ruim pode lhe acontecer. E já ouviram aquele ditado de pensamento ruim atrai pensamento ruim? Pois bem, uma tragédia abate sobre essa família e Ana é obrigada a assumir o trono. Mesmo sem saber como se deve governar um país. Para completar com sua nova função não lhe sobra muito tempo para ficar com seu amor e isso pode acabar esfriando as coisas. Nada que um bom jogo de cintura não possa resolver.

No primeiro livro logo de cara me identifiquei demais com a personagem. Não porque fosse filha de algum rei perdido no mundo. Mas, por causa de sua personalidade forte e divertida. Sem contar seu ótimo gosto musical, sendo sua banda favorita o Bon Jovi – a minha também. Nesse me senti ainda mais próxima devido a pequenos detalhes, um deles sendo adorar os jogos de vôlei da seleção masculina. Nada como morrer do coração assistindo a Liga Mundial. No entanto, não senti que ao longo desses anos tenha amadurecido ainda mais quando isso era necessário. Teve momentos que fiquei com muita raiva dela, ainda mais porque as pessoas ao seu redor somente gostariam de ajudá-la. Ela se saiu muito bem como governante, mas em alguns instantes parecia um pouco apagada pelas decisões que estava tomando. No entanto, quando precisou ser forte e aguentar firme as pontas se mostrou uma excelente princesa.

Quanto ao Alex continua a ser a pessoa mais fofa do universo. Fiquei em diversos momentos morrendo de pena dele. Estava sofrendo tanto quanto Ana devido a essa tragédia, mas teve que aguentar firme devido a todos os acontecimentos. Tentou ao máximo ser compreensível com a Ana, mas tem uma hora que se cansa. Por isso em uma determinada cena dos dois fiquei do lado dele e torci para que ela parasse de ser tão cabeça dura e desse valor ao homem que tinha ao seu lado. O que mais faz é gestos fofos e apaixonados. Foi um pouco ingênuo em determinadas partes, mas deixou tão claro que é capaz de qualquer coisa pelo amor de Ana. Mesmo que tenha que se colocar na linha de tiro e fazer coisas que nunca passou pela sua cabeça. Não consegui sentir nenhum um pingo de raiva dele. Queria somente que abrisse os olhos e percebesse que algumas atitudes poderiam lhe colocar em uma verdadeira enrascada.

Como que para deixar claro para todos ao redor o tipo de relação que tínhamos, puxou-me para um beijo intenso, desses que fazem os dedos dos pés se dobrarem de alegria.

E parece que a autora estava lendo os meus pensamentos. Dessa vez em seu livro a narrativa não fica somente por conta de Ana. Mas, tem cenas em que Alex relata todos os seus sentimentos e frustrações. Eu amei porque isso me fez ficar ainda mais próxima do rapaz. Tenho essa visão se for para escrever em primeira pessoa que seja dividido entre os dois principais. Tanto que se o livro fosse narrado somente pela Ana com certeza teria sentimentos angustiantes e pensando o pior sobre a relação dos dois. Espero que a Marina adote esse padrão para todos os seus livros que forem narrados na primeira pessoa. Não ficou com nenhum espaço em aberto. Todas as perguntas que tinha sobre aqueles momentos foram respondidas.

Mas, teve algo que não me agradou muito. No livro anterior tinha reclamado que gostaria que Ana tivesse tido mais tempo com seu pai. E nesse estava na expectativa de que os dois pudessem ter mais momentos. Como fazer uma viagem juntos ou sair para velejar. Tiveram cenas dos dois juntos, mas ficou um pouco em aberto. Assim como com a sua mãe. Entendo que ela teve diversos momentos com os dois e que ela fala sobre isso com carinho. Mas, gostaria de ter visto isso acontecendo naquele momento. Acho importante ter um espaço para o relacionamento deles.

Sua filha está doida para correr de volta para o papai.

Quem continuou perfeita demais foi a Estela. Não deixou de ser aquela amiga que fala exatamente o que está pensando. E se a Ana estava errada mostrava isso até a menina entender que tinha se precipitado. Não é dessas pegajosas e está sempre disposta a ajudar no que for preciso. Merece seu feliz para sempre e com isso quero dizer um livro somente dela. Quem sabe junto com Arthur ou algum outro rapaz. Porque não teve como torcer para que ficasse com o Arthur porque somente sabemos que os dois estão juntos.

Por fim, quero despejar todo o meu veneno sobre Laika. Mais conhecida como A Nome de Cachorro. Essa mulher é uma invejosa que nunca deixaria Alex e Ana serem felizes. Quando apareceu a primeira vez tinha certeza que ia fazer de tudo para melar o relacionamento dos dois. No entanto, quando é amor verdadeiro não adianta lutar contra. Ficava forçando a barra e queria que Alex não fosse o perfeito cavalheiro para ensinar uma boa lição para essa mulher. Apesar de que teve exatamente o que merece.

Como eu poderia imaginar que ela e a Laika apareceriam no mesmo horário?

Obviamente recomendo os livros da Marina para todos que amam um bom romance. Mas, para ler De Repente Ana tem que ler Simplesmente Ana antes porque senão terá grandes spoilers e pode não conseguir entender a situação. Já estou na ansiedade pelos próximos livros da autora.

Quote Favorito

De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Em um primeiro instante estranhei a capa porque a menina não parecia em nada com a do anterior. Mas, depois gostei demais. Mesmo porque Ana está mais velha então não podia mais ser aquela menina com rosto de adolescente. Essa também tem traços joviais, mas parece um pouco mais velha. Os tons mais claros também ficaram ótimos. Porque combinaram demais com os tons rosa. Deixando tudo em um modo mais romântico. Gostei que manteve o padrão no nome da autora e também do livro. Ambas tendo o devido destaque que merecem.

De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

A diagramação seguiu o padrão do primeiro livro. As páginas são amarelas com cada capítulo iniciando em uma nova página. Tem a diferença de que quando está com o foco em Alex. As páginas ficam em cinzas e o nome dele logo abaixo do número do capítulo. Quando tem mudanças de cenas dentro do capítulo, não importando quem está narrando, tem uma imagem de coroa, igual do primeiro livro. As marcações das conversas e dos e-mails seguem o padrão anterior.

Nota da Nathy

De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM De Repente Ana - Marina Carvalho - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Datas de Lançamentos

“O livro é uma cortesia da Editora Novo Conceito. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.”

About the Author:

Nathalia Garcia - A Nathy! Tem 26 anos e é formada em Psicologia. Seu maior vício são os livros, ela sempre está se arriscando em um novo desafio literário. Romances policiais são os seus favoritos. Nos últimos anos também se tornou uma apaixonada por séries. Once Upon a Time e Criminal Minds são algumas das suas séries prediletas.

6 Comments

  1. sarah 16 de fevereiro de 2015 at 15:21 - Reply

    O que eu gostei em Simplesmente Ana foi q Alex era chatinho! Ele nao queria conquistar ela, os dois viviam se estressando e foi apenas pelo convivio q eles acabaram se gostando. É o tipo de namorado lindo e idiota..n idiota no sentido mané, mas sim cm bom humor! Minha preocupaçao cm De Repente Ana era se isso ia continuar. Se eles iam continuar sendo esse casal fofinho e lindo. Bom, pelo jeito o livro alcançou as minhas espectativas!

    • Nathalia Garcia 18 de fevereiro de 2015 at 11:09 - Reply

      Oiee Sarah =)

      Eu também tinha algumas preocupações com esse livro, ainda bem que a autora conseguiu deixar de um modo que não ficou muito parado. Mas, teve algumas partes que me incomodaram demais. Continuei gostando demais do Alex, um verdadeiro fofo rs.
      Beijos

  2. Rafael 8 de setembro de 2014 at 11:16 - Reply

    Parabéns!!!!! pelo blog, gostei muito da apresentação, gostei muito da resenha do livro De Repente Ana , sem duvida é um livro que chama a atenção por sua historia, gosto muito de historias sobre a realeza são sempre peculiares, vos convido a seguir o meu blog, muito obrigado, um abraço .

    • Nathalia Garcia 11 de setembro de 2014 at 12:24 - Reply

      Oiee Rafael!!!

      Obrigada pelos elogios. De Repente Ana foi um dos livros que mais gostei nesse ano. Qual é o seu blog??
      Beijos

  3. Vivian Cunha 1 de setembro de 2014 at 13:36 - Reply

    Oi, Nathalia.
    Adorei seus comentários sobre o livro. Eu também amei a continuação da história. E, sim, também fiquei mais apaixonada pelo Alex. Um romance muito interessante e fofo!
    Imagino, que não terá continuação desta história, mas aguardo ansiosa as próximas obras da Marina Carvalho.
    Ah, nos conhecemos na Bienal, na fila da Carina Rissi, kkkkk. Ufa, conseguimos!!! =D
    Beijo,

    • Nathalia Garcia 4 de setembro de 2014 at 11:35 - Reply

      Oiee Vivian, pode me chamar de Nathy viu 😉

      Primeiro de tudo: Aewwwwwwwwwwwwwwwwww conseguimos menina aquele autografo, nossa que dificil, mas aguentamos até o final. Mereciamos um premio ahiauhaiuhauiha.

      O Alex é um fofo, ainda que se coloque em situações bem desnecessárias rs. Acho que ela pode fazer algo sobre a filha deles e também sobre a amiga dela, seria bem legal rs. Louca por outros livros dela.
      Beijos

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)