Desejo à Meia-Noite – Lisa Kleypas – #Resenha

Home/Desejo à Meia-Noite, Lisa Kleypas, Livros, O Blog da Mari, Os Hathaways, Resenhas/Desejo à Meia-Noite – Lisa Kleypas – #Resenha

Sinopse: Após sofrer uma decepção amorosa, Amelia Hathaway perdeu as esperanças de se casar. Desde a morte dos pais, ela se dedica exclusivamente a cuidar dos quatro irmãos – uma tarefa nada fácil, sobretudo porque Leo, o mais velho, anda desperdiçando dinheiro com mulheres, jogos e bebida. Certa noite, quando sai em busca de Leo pelos redutos boêmios de Londres, Amelia conhece Cam Rohan. Meio cigano, meio irlandês, Rohan é um homem difícil de se definir e, embora tenha ficado muito rico, nunca se acostumou com a vida na sociedade londrina. Apesar de não conseguirem esconder a imediata atração que sentem, Rohan e Amelia ficam aliviados com a perspectiva de nunca mais se encontrarem. Mas parece que o destino já traçou outros planos.

Quando se muda com a família para a propriedade recém-herdada em Hampshire, Amelia acredita que esse pode ser o início de uma vida melhor para os Hathaways. Mas não faz ideia de quantas dificuldades estão a sua espera. E a maior delas é o reencontro com o sedutor Rohan, que parece determinado a ajudá-la a resolver seus problemas. Agora a independente Amelia se verá dividida entre o orgulho e seus sentimentos.

Será que Rohan, um cigano que preza sua liberdade acima de tudo, estará disposto a abrir mão de suas raízes e se curvar à maior instituição de todos os tempos: o casamento? Primeiro Capítulo

Ficha Técnica

Desejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Titulo Nacional: Desejo à Meia-Noite – Skoob

Titulo Original: Mine Till Midnight – Goodreads

Autora: Lisa Kleypas

Tradução: Livia de Almeida

Editora: Arqueiro

Ano: 2013

ISBN: 978-85-80-41149-2

Série: Os Hathaways

Volume: 1

Número de páginas: 272

Sobre a Autora

Desejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Lisa Kleypas, vencedora do prêmio RITA, já escreveu 34 romances. Seus livros foram publicados em 28 idiomas, em diversos países. Ela mora em Washington com o marido e os dois filhos. Dos livros da série Os Hathaways, a Editora Arqueiro já publicou Desejo à meia-noite, Sedução ao amanhecer, Tentação ao pôr do sol e Manhã de Núpcias.

Opinião da Mari

Assim que as coleções de romance de época começaram a ser divulgadas pela editora Arqueiro me vi louca querendo comprar todos os livros, mas acabei me policiando e apenas agora tiver oportunidade de iniciar a leitura da série Os Hathaways. Além da falta de tempo, rolou um pouco de preconceito da minha parte ao ouvir que ciganos eram parte central da história. Respeito a cultura e a crença de cada um, mas assim como outros gêneros literários não me atraem, não estava muito empolgada com a leitura, que acabou me conquistando.

O livro é narrado em terceiro pessoa e flui muito bem! A história não é excessivamente descritiva o que facilita muito a leitura, gosto quando a história vai direto ao ponto e não fica enrolando com detalhes, que apesar de serem interessantes muitas vezes são dispensáveis. E em Desejo à meia-noite é exatamente isso o que acontece. A narrativa ainda possui alguns termos específicos utilizados pelos roms – nome dado aos ciganos -, que são explicados pelos próprios personagens no decorrer da história.

A família Hathaway nos é apresentada neste primeiro livro, onde Amelia a mais velha de quatro irmãs tem que lidar com as rebeldias de Leo seu irmão mais velho, recém coroado Lorde de Ramsay para onde se mudam de Londres, no outono de 1848. Leo perdeu sua noiva durante uma epidemia de escarlatina. A culpa o consumiu e o rapaz praticamente desistiu de viver, obrigando de forma indireta Amelia assumir as rédeas da família, que está um caos. No decorrer da história é possível criar um pouco de empatia por Leo, mas a verdade é que o personagem e sua falta de vontade de viver me irritaram muito! Família é família, mesmo com todos as diferenças o amor prevalece, mas que muitas vezes senti vontade de ver Amelia o abandonando, juro que senti.

Amelia tinha pavor de que não houvesse mais nada que pudesse ser feito por ele. Impossível salvar um homem que não deseja ser salvo.

Com tantas responsabilidades, Amelia acaba deixando sua vida romântica de lado, pelo menos até conhecer Rohan, um cigano que vive nos meios dos gadjis – pessoas que não pertencem ao povo cigano. O encantamento dos dois é imediato, ainda assim a teimosia da garota faz com que a relação dos dois se estenda durante todo o livro. Encontros e desencontros fazem parte desse tipo de romance, assim como “a cegueira” de alguns personagens, porém dessa vez estava claro o sentimento que ambos sentiam um pelo o outro e mesmo assim ela estava resistindo ao rapaz sem motivo algum. Para alguém que se dizia tão racional, do meu ponto de vista faltou objetividade para Amelia.

Quanto a Rohan tenho muitos elogios a fazer. Como disse no início da resenha, tinha um certo preconceito com a história pelo fato do rapaz se tratar de um cigano, mas ainda que não compartilhasse das crenças/cultura do rapaz, senti uma compaixão muito grande por ele. Pois independente de crença/credo acredito que todos merecem ser respeitados e tratados como iguais, o que não acontecia com o rapaz, ainda que ele se mostrasse muito mais cavalheiro que outros personagens vistos na série. Rohan além de lindo, era inteligente e extremamente bom com números, ainda contra sua vontade era um empreendedor nato. Se portou como um cavalheiro e mostrou a Amelia o verdadeiro significado da palavra amor. Minha única ressalva em relação ao rapaz seria quanto a sua possessividade além dos limites, querer a pessoa amada ao seu lado é compreensível, proibi-la de estar na presença de outro homem é um absurdo, felizmente o gênio de Amelia é capaz de lidar com esse tipo de infortúnio.

Você se ressentiria de mim por roubar sua liberdade… e eu me ressentiria de você por roubar a minha. Não posso prometer obediência, aceitar suas decisões e nunca mais ter direito às minhas próprias opiniões… 

Além do casal principal, ainda acompanhamos de forma coadjuvante o romance entre Win, irmã de Amelia e Merripen, um cigano adotado pela família quando ainda era uma criança, – a história dos dois deve ser desenvolvida de forma central no próximo livro, uma das minhas próximas leituras – e de Poppy e Beatrix as irmãs caçulas. Enfim, me irritei um pouco com as atitudes dos personagens, mas de forma geral gostei da leitura e a recomendo, para os fãs desse gênero.

Quote Favorito

Desejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Desejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMA leitura foi realizada no kindle, mas pelo que vi a diagramação do livro segure o padrão da editora utilizado nos outros da série (esses eu já tenho em formato físico). E apesar de não me agradar muito, não prejudica a qualidade do livro. As folhas são amarelas e a fonte possui um bom tamanho para leitura, contudo os capítulos não iniciam em uma nova página ou folha. Também não há nenhum tipo de ilustração incrementando a edição. Durante a leitura não encontrei erros de português ou de tradução.

Gosto da capa do livro, que segue o padrão da capa americana. Do meu ponto de vista, ela diz pouco sobre a história, mas o tom de azul chama atenção, assim como o modelo de vestido utilizado pela mulher em destaque. Entre as outras versões internacionais que vi, acredito que essa seja mesmo a mais bonita.

Nota da Mari

Desejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMDesejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMDesejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMDesejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMDesejo à Meia-Noite - Lisa Kleypas - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Onde Comprar

About the Author:

Mariana Garcia - A Mari! Tem 28 anos e é formada em Engenharia da Computação. Seu maior vício são as séries. Sua watchlist está lotada, mas nunca demais para adicionar um novo reality show. Nos livros assim como nos filmes seu gênero predileto são os romances e as comédia românticas (chick-lits).

5 Comments

  1. Amanda Pampaloni Pizzi 19 de janeiro de 2015 at 21:13 - Reply

    Li um trecho do livro no Kindle e gostei bastante. Tanto que já estou esperando o meu chegar.
    Sempre fui fã de romances de banca, quando mais nova, e estas séries publicadas pela Arqueiro me lembram bastante a eles. E as histórias ciganas sempre são apaixonantes, ao menos para serem lidas.
    Ansiosa por iniciar minha leitura.
    Beijos.

  2. […] o livro 3 da série Os Hathaways. Então a partir deste momento o post pode conter spoilers de Desejo à Meia-Noite,  Sedução ao Amanhecer e/ou Casamento […]

  3. […] Sedução ao Amanhecer é o livro 2 da série Os Hathaways. Então a partir deste momento o post pode conter spoilers de Desejo à Meia-Noite.Toggle […]

  4. Pah (@LendoEscrevendo) 7 de setembro de 2014 at 12:33 - Reply

    Sabia que você ia gostar do livro rs
    O próximo é melhor na minha opinião junto com o quarto q são os melhores 😉

    • Mariana Garcia 19 de setembro de 2014 at 20:48 - Reply

      Pah acertou em cheio na indicação, curti Os Hathaways e já estou “maratonando” os livros da série, terminei o segundo na semana passada, em breve devo publicar a resenha e logo devo começar o próximo.

      No primeiro livro odiei o Leo, já no segundo ele melhorou muito, estou bem curiosa quanto a história dele, espero não me decepcionar =D

      Beijokas

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)