Sinopse: No limite da ousadia conta a história de Beth Risk, a amiga durona de Noah, de No limite da atração. Este livro é um spin-off, passando-se no mesmo universo do primeiro, com participações especiais de Isaiah, Noah e Echo. Se você já é fã de No limite da atração ou está descobrindo este mundo agora, certamente vai se deixar envolver pela paixão perigosa e arrebatadora de Beth e Ryan. Beth é uma garota durona e tatuada que precisa cuidar da mãe drogada. Quando ela assume um crime para salvar a mãe, seu tio, um rico esportista aposentado, consegue a guarda da sobrinha e a leva para começar uma vida nova na cidadezinha do interior em que ele mora. E assim Beth se vê morando com uma tia que não a quer e frequentando uma escola onde ninguém a compreende. Exceto um único cara, que não poderia ser mais diferente dela… Ryan é o menino de ouro — um badalado jogador de beisebol, filho de um dos casais mais influentes da cidade. Ele e seus amigos gostam de fazer apostas envolvendo desafios que devem cumprir, e Ryan nunca perde. Por fora o atleta popular que todo mundo adora, ele está prestes a aprender que nem tudo é o que parece. O que começa como uma aposta se torna uma atração irresistível que nem Beth nem Ryan haviam previsto. Sem se dar conta, o cara perfeito vai arriscar seus sonhos — e sua vida — pela garota que ama. E ela, que não deixa ninguém se aproximar, vai se desafiar a apostar todas as fichas nesse amor. Com aparições de Noah, Echo e Isaiah, de No limite da atração, este livro conta a história de um amor que vai se construindo aos poucos, num jogo sedutor de vulnerabilidade e confiança.

Ficha Técnica

No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Titulo Nacional: No Limite da Ousadia – Skoob

Titulo Original: Dare You To – Goodreads

Autora: Katie McGarry

Tradução: Cláudia Mello Belhassof

Editora: Veruso (Grupo Editorial Record)

Ano: 2014

ISBN: 978-85-7686-323-6

Série: Pushing the Limits

Volume: 02

Número de páginas: 420

Sobre a Autora

No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Katie McGarry foi adolescente na época do grunge e das boy bands e se recorda desses anos como os melhores e os piores de sua vida. Ela gosta de música, finais felizes e reality shows, e torce secretamente pelo time de basquete da Universidade de Kentucky. Katie adora interagir com seus leitores.

Opinião da Nathy

Quando li No Limite da Atração tive vários surtos e até o coloquei como um dos meus livros favoritos. Então podem imaginar a minha ansiedade para ter esse livro em mãos. Comecei a minha leitura sem muitas expectativas, mas já prevendo que as cenas de romance seriam ótimas. Estava muito enganada sobre tudo. Passei boa parte do livro com raiva dos personagens e seus dramas que nem eram tão dramáticos assim. Pode ser que a situação deles fosse complicada, mas não conseguiu me conquistar e nem simpatizar com eles. Queria torcer o pescoço de Beth por ser tão egoísta. Quero ler os outros livros da série ainda que tenha me decepcionado demais com a história da Beth.

Como disse Beth é a principal desse livro. Ela é a amiga do Noah e Isaiah no livro anterior. Uma menina com uma vida muito complicada que não consegue deixar para trás. Depois de assumir a culpa de um incidente pela a sua mãe, vê sua vida mudar completamente quando seu tio Scott – irmão de seu pai – toma a guarda dela para si. Então a menina tem que mudar de cidade, mas não consegue deixar as pessoas que tanto ama para trás. Enquanto, Ryan é o menino perfeito da escola. Tinha uma excelente na namorada, seus pais tem prestígios na cidade, ele é o melhor jogador de beisebol e tem seu futuro praticamente traçado. No entanto, sua família não é nada como aparenta. Uma briga entre eles muda toda a dinâmica e Ryan acaba não sabendo realmente o que deseja.

Com a narrativa em primeira pessoa variando entre os dois personagens era de se esperar que conquistassem os leitores e a simpatia. Porém, tudo o que me fez fazer foi ficar com raiva de Beth. E até mesmo um pouco de raiva do Ryan no começo. Depois passei a desejar as melhores coisas na vida do rapaz. E com certeza não merecia tudo o que estava passando próximo do final. Estava lutando pelo aquilo que acredita e também pelo seu futuro. Gosto que a autora tenha inovado desde o primeiro livro da série, porque ajuda demais em não perder nenhum detalhe.

Não estou interessado no segundo lugar. Nunca estive. Nunca vou estar.

A Beth tinha tudo para ser uma daquelas mocinhas que nos encantam e nos faz realmente torcer para que dê tudo certo. No entanto, desde o começo me pareceu egoísta demais e pensando somente em si mesma. Pode até ter a desculpa de que quer fazer as coisas pela a sua mãe e tudo mais, porém não caio nessa conversa. Não se importou com os sentimentos das pessoas ao seu redor. Não se importou com aqueles que somente queriam o seu melhor. Tudo o que fazia era pensando em sua mãe. Por isso não acredito em suas mudanças de comportamento e nem nos seus medos. Cheguei ao ponto de desejar que as pessoas deixassem de se importar e quem sabe assim ela aprenderia com seus erros. Porque definitivamente sua mãe não estava nenhum um pouco ligando se ela estava machucada ou não. Se eu tive alguma simpatia por ela no livro, nesse queria mais é que a vida lhe ensinasse duras lições. Não é uma menina forte e sim muito covarde que se gosta de se fazer de vitima.

O Ryan é outro que só veio a me empolgar próximo do final. Ele é um desses adolescentes estereotipados americanos que somente se importam em vencer a todo custo. Adora um bom desafio é enxergar exatamente isso em Beth, um desafio a ser vencido. Porém, passa a ver que a menina vai muito, além disso, em sua vida e em sua personalidade. Quando para de ser o filho que seus pais tanto desejam me fez admirá-lo. Porque então começa a dar valor no que realmente importa e também na Beth. Mesmo ela não merecendo muito a sua atenção. Ele tenta demonstrar de todas as maneiras possíveis que gosta dela e que está mais do que na hora de parar de fugir. Foi mesmo um mocinho digno depois de um tempo.

Então o romance entre os dois poderia salvar toda a história, certo? Não! Demora demais para os dois terem uma interação verdadeira. Enquanto ficam presos dentro dos seus próprios problemas, sem importar com mais nada tudo fica parado. Poderia ser o desenvolvimento nesse momento do romance e fazer que ficasse na expectativa de quando iria acontecer o primeiro beijo e outras coisas. Mas, tudo parecia muito forçado entre os dois. Não acreditei nos sentimentos da Beth, porque tudo o que lhe importava realmente era a sua mãe. Mesmo com todas as declarações que deveriam ser lindas, ficava com pena de Ryan porque não conseguia acreditar em nada do que ela dizia.

Você tem que desafiar primeiro, antes de poder desafiar em dobro.

Tem dois personagens no lado da Beth que me deixaram de coração partido. O primeiro foi o Isaiah. Estou na torcida para que a sua mocinha dê valor na pessoa incrível que está ao seu lado. Porque não importava o que ele fizesse para ajudar a Beth, ela sempre via da maneira mais egoísta possível. Partiu o coração do menino com seu jeito e acabou o deixando bem infeliz. Não merecia nada disso. O segundo foi o Scott – seu tio. O homem tinha uma responsabilidade muito grande em suas costas e assumiu para si mesmo. Tomou a frente cuidar da sua sobrinha e todos os dias se esforçou ao máximo. Somente queria o melhor e novamente ela pouco ligava. Estava vendo o momento em que ele iria mandar tudo para o inferno, afinal era exatamente isso que a Beth estava merecendo.

Na parte do Ryan as participações foram quase nulas. Seu irmão Mark esta tentando uma reaproximação e fiquei ao lado do rapaz. Mas, gostei que autora abordasse uma temática dificil em sua vida e como uma família lida de uma forma não tão diferente. Os amigos dele também são um pouco apagados. O Chris em um determinado ponto se torna um verdadeiro idiota. Acredita que somente ele pode ter a menina ao seu lado e lutar para ficar com ela. Gostaria de ter visto mais sobre cada um deles, inclusive sobre Lacy que é muito fofa.

Por fim, os pais mais irritantes de todo mundo. A mãe de Beth – Sky é insuportável. Nossa Nathy coitada da mulher ela precisa de ajuda. Eu sei disso, mas quando a ajuda apareceu diversas vezes em sua frente não quis. Teve a oportunidade de melhorar quando o pai da Beth foi embora, mas a mulher fechou os olhos para mais essa oportunidade. Uma mulher fraca que fica se fazendo de vitima. A única coisa que conseguia sentir pela personagem era nojo. Assim como pelos pais de Ryan. Uns fracos que ficam pensando nas aparências acima da felicidade realmente da família. Não desejei coisas ruins em suas vidas porque de serem eles já era um grande castigo.

Seu pai é o cara.

Sei que não falei muito bem do livro, mas acho que vale a pena conferir os livros dessa série. Estou muito empolgada pelo próximo que espero ser melhor desenvolvido.

Quote Favorito

No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

E se não gostei tanto assim da história a capa do livro me conquistou completamente. O rapaz sentado no chão segurando a menina enquanto estão na chuva é muito perfeita. O nome do livro está em uma textura diferenciada assim como o nome da autora. Na lombada tem o nome do livro em grande destaque e o nome da autora em uma menor fonte em tons de azul. Dentro do livro também tem os tons de azul, que eu achei lindo demais. Na contra capa tem um foco maior no rosto dos dois personagens. O rapaz até pode ser o Ryan, mas não sei se a menina combina tanto assim como Beth. A capa foi mantida da original.

No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Já a diagramação é simples. Cada capítulo se inicia em uma nova página com a mudança de narrador e tendo uma indicação acima de quem está narrando. Não tem marcação de ‘capítulo um’ é tudo diferenciado pelo nome dos personagens. As páginas são amarelas e grossas. Quando tem algum pensamento ou alguma escrita dos personagens é em uma fonte diferenciada para não confundir o leitor. Não tive nenhum problema com a tradução ou digitalização, se houve algum erro passou despercebido.

Nota da Nathy

No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM No Limite da Ousadia - Katie McGarry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Trilha Sonora

Datas de Lançamentos

  • No Limite da Atração – Pushing the Limits #1 – Lançado em  2013 – Resenha
  • Crossing the Line – Pushing the Limits #1.1  – Não há previsão de lançamento no Brasil
  • Breaking the Rules – Pushing the Limits #1.5  –  Não há previsão de lançamento no Brasil
  • No Limite da Ousadia – Pushing the Limits #2 – Lançado em 2014
  • No Limite do Perigo – Pushing the Limits #3  – Lançado em 2015
  • Take Me On – Pushing the Limits #4 – Não há previsão de lançamento no Brasil
  • Chasing Impossible – Pushing the Limits #5 – Não há previsão de lançamento no Brasil

Onde Comprar

“O livro é uma cortesia da Editora Verus. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.”