Sinopse: Na futurística Chicago, quando a adolescente Beatrice (Shailene Woodley) completa 16 anos ela tem que escolher entre as diferentes facções que a cidade está dividida. Elas são cinco e cada uma representa um valor diferente, como honestidade, generosidade e coragem. Beatrice surpreende a todos e até a si mesma quando decide pela facção dos destemidos, diferente da família. Ao entrar para a Audácia ela torna-se Tris e entra numa jornada para afastar seus medos e descobrir quem é de verdade. Além disso conhece Quatro (Theo James), rapaz experiente que consegue intrigá-la e encantá-la ao mesmo tempo.

Ficha Técnica

Divergente - Divergent - #Crítica | OBLOGDAMARI.COM

Titulo Nacional: Divergente

Titulo Original: Divergent

Elenco: Shailene Woodley, Theo James, Aaron Eckhart, Kate Winslet, Jai Courtney, Maggie Q, Miles Teller, Ray Stevenson, Zoë Kravitz, Ansel Elgort.

Direção: Neil Burger

Gênero: Aventura / Romance/ Ficção científica

Duração: 139 min

Distribuidora: Image Filmes

Estreia:  Abril de 2014

Trailer

Opinião da Mari

Essa crítica já era para ter sido publicado, mas a vida e outros milhões de motivos, fizeram ela ficar “engavetada” aqui por muito tempo. Agora, com Insurgente (segundo filme da trilogia) inclusive já tendo sido lançado, finalmente consegui terminar está postagem, onde vocês vão poder ver a minha empolgação – semanas depois de assistir ao filme.

E finalmente – sim o filme estreou há poucas semanas, mas a ansiedade estava grande – fui (fomos) assistir Divergente! E gente o que dizer?! Tantos sentimentos, tantos surtos, tantos momentos fangirl, calma Mari respira e volte a realidade. Sim, eu amei a adaptação e não vejo a hora de poder assistir e suspirar de novo, mas vamos com calma, pois tenho muita coisa para falar. Começando pelo fato que mais uma vez assisti ao filme sem ter previamente lido o livro – não se preocupem a trilogia já está na lista e eu pretendo ler os livros o quanto antes -, então não esperem comparações, mas saibam que a Nathy já resenhou o livro aqui no blog e ela também adorou ao filme, que segundo ela foi muito bem adaptado.

Posso começar (ou continuar, já que já comecei ali em cima, rs) dizendo que gostei muito mais de Divergente, que de Jogos Vorazes. Ok, não me matem, não quero criar rixa nenhuma entre os fandoms. Ambos os filmes são muito bons, mas Divergente ganhou meu coração instantaneamente e nem foi porque Theo James – lindo, maravilhoso, meu Golden Boy – estava nele. Juro que não! O filme é na verdade muito completo, tem ação, romance, drama, tudo na medida certa, além de fotografia e trilha sonoras ótimas. Respira de novo Mari. Sei que pareço uma adolescente desesperada, me desculpem por isso, mas ainda estou bem empolgada com o filme, louca para vomitar spoilers para vocês e comentar com detalhes cada uma das cenas, mas prometo que vou me controlar.

Shailene está muito bem como Tris. A personagem faz escolha difíceis em diversos momentos e mesmo sendo uma divergente – isso não é spoiler né? – mostra o quão audaciosa ela pode ser. A personagem lida com diversos conflitos pessoais ao ter que decidir entre o que ela é e o que realmente quer ser, independente da dor que vai causar as pessoas que ama. E após sua escolha enfrenta não apenas seus medos e a dor de perder pessoas queridas e ter que seguir em frente, mas toda uma sociedade corrompida.

E claro Four/Quatro, não poderia ter sido melhor parceiro para ela. Tudo bem que sou suspeita para falar do Theo James, pois sou fã do ator há algum tempo, mas também o achei incrível. A química com Shailene foi muito melhor do que eu imaginava. E mesmo sem ter lido o livro, consegui ver as diversas facetas do Tobias e me apaixonar por todas elas. Já Ansel (A Culpa é das Estrelas) era uma pessoa completamente diferente de Gus, um ponto positivo na atuação do ator. Uma pena que seu personagem seja tão chato, vamos ver se nós próximos filmes isso melhora.

Enfim, recomendo muito o filme, para os fãs de aventura e romance, além é claro dos leitores da trilogia da Veronica Roth, no qual o filme foi baseado.

Quote Favorito

Four: I don’t want to be just one thing. I can’t be. I want to be brave, and I want to be selfless, intelligent, and honest and kind. Well, I’m still working on kind.

Fotos

Divergente - Divergent - #Crítica | OBLOGDAMARI.COM Divergente - Divergent - #Crítica | OBLOGDAMARI.COM

Divergente - Divergent - #Crítica | OBLOGDAMARI.COM Divergente - Divergent - #Crítica | OBLOGDAMARI.COM

Divergente - Divergent - #Crítica | OBLOGDAMARI.COM Divergente - Divergent - #Crítica | OBLOGDAMARI.COM