Sinopse: O aquecimento global modificou a geografia e a política mundial. Com a escassez de água, guerras assolam as nações, e novos impérios surgem das ruínas das antigas potências. É nesse cenário distópico que Noria Kaitio, de 17 anos, está estudando para se tornar uma mestre do chá – os únicos humanos que têm conhecimento sobre a localização das nascentes de água. Mas segredos não permanecem secretos para sempre, e o exército de Nova Qian começa a espionar Noria e seu vilarejo. Conforme a água se torna cada vez mais escassa, a garota precisa escolher entre a segurança de casa e os perigos da guerra. Primeiro Capítulo.

Ficha Técnica

Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Titulo Nacional: Memória da água – Skoob

Titulo Original: Memory of water – Goodreads

Autora: Emmi Itäranta

Tradução: Liliana Negrello e Christian Schwartz

Editora: Galera Record

Ano: 2015

ISBN: 978-85-0110311-6

Número de páginas: 286

Sobre a Autora

Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Emmi Itäranta é mestre em drama e em escrita criativa. Envolveu-se em uma mistura eclética de atividades literárias: já foi dramaturga, colunista e crítica de teatro. Escreve ficção em finlandês e em inglês, e atualmente trabalha em seu segundo romance. Memória da água ganhou diversos prêmios e foi indicado para o Philip K. Dick Award.

Opinião da Nathy

No momento em que li a sinopse do livro confesso que fiquei curiosa para saber do que se tratava a história. Ainda mais por se passar na China e tenho visto muitos dramas chineses. E gostado demais deles. Então eu fiquei muito empolgada esperando me envolver com a história. Tem livros que você já começa lendo querendo gostar. Foi o caso com esse livro. No entanto, por mais que eu quisesse gostar não consegui me envolver. Chegou ao ponto que não via o momento em que iria finalizar a leitura. A história tinha tudo para ser ótima, mas a meu ver não foi bem desenvolvida. Ficou faltando aquele algo há mais.

O livro conta a história de Noria uma menina que sempre soube que se tornaria uma mestre do chá. Tudo o que aprendeu foi com seu pai. Inclusive um importante segredo. Em um mundo aonde a água é escassa seu pai lhe mostra uma nascente. Um local que o militares ainda não colocou as suas mãos. Com essa nascente consegue sobreviver e preparar os melhores chás. No entanto, não relatar aos militares sobre a nascente é um crime que pode levar à pessoa a morte.

O começo foi no dia em que meu pai me levou para o lugar que não existe.

A narrativa é feita em primeira pessoa pela Noria. A forma como todos os acontecimentos foram descritos que me incomodou um pouco. Conforme, Noria contava sua história eu fiquei esperando o momento em que algo tremendo iria ocorrer. Mas, na verdade tudo ficou exatamente na mesma. O que acabou tornando o livro muito cansativo. Quando estava perto do final imaginava que nada importante iria ocorrer. Já estava até mesmo prevendo o final e me irritando. O livro poderia ter sido descrito de uma forma mais dinâmica e ter partido para outros lados. Os que mais me incomodaram foram os momentos que descreviam a cerimônia do chá – todas as vezes que ela ocorria, o que era desnecessário.

Como disse antes eu comecei o livro querendo gostar do que estava lendo inclusive da principal. Porém, Noria não colaborou. Ela é muito apagada e não tem a força necessária para ser a principal. Muito ingênua e tenta ser altruísta. Por estar pensando em outras pessoas acabou cometendo alguns erros. Eu até entendia as suas atitudes, mas queria colocar um pouco de juízo na sua cabeça. Para que amadurecesse e entendesse que alguns sacrifícios são importantes. Ela acabou pagando um preço muito alto por sua decisão. Porém, gostei que seu ato tivesse mesmo uma consequência e ela a aceitou. Geralmente as mocinhas se livram depois de cometer um ato irresponsável.

Tentei afastar a imagem da minha cabeça, mas sabia que seria dificil fazer tudo aquilo desaparecer.

Um dos motivos por ter me irritado com a Noria foi sua amizade com a Sanja. Estava muito claro para a minha pessoa de que essa amizade era unilateral. A Sanja parecia ter muita inveja da Noria e mesmo a menina fazendo de tudo para ajudá-la não demonstrava gratidão. Pareceu que a Sanja achava que a Noria tinha a obrigação de lhe ajudar. Por esse e outro comportamento da Sanja eu não queria que a Noria confiasse demais na moça. Queria que tivesse tido um desfecho muito melhor.

Agora gostei muito do pai da Noria. Ele sabia o que estava fazendo e mesmo entendendo as consequências não podia agir de outra forma. Firme em seus ideais e tentava transmiti-los para sua filha. E eu acho que se ela tivesse o escutado mais vezes não teria tido nenhum problema. Podia estar sendo um pouco egoísta, mas era compreensível. Eu gostei do que lhe ocorreu porque acabou sendo bem digno.

Mas talvez eu não estivesse procurando direito.

Não foi um livro que me prendeu e nem faz o estilo de leitura que gosto. A leitura não funcionou comigo, mas pode ser que com você funcione. Afinal de contas cada pessoa tem uma opinião diferente.

Quote Favorito

Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Não é uma capa que me chama atenção. Tanto que quis ler o livro por causa de sua sinopse. Mesmo tendo as cores da água e esse dragão. Não consegui gostar. A textura do livro é diferente. Não tem aquela proteção que geralmente tem nos livros. A diagramação é simples. Cada capítulo inicia em uma nova página. Não tem marcação em mudanças de cenas. As páginas são amarelas e grossas. Não tive problemas com a digitalização/tradução.

Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Nota da Nathy

Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Memória da água - Emmi Itäranta - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

 

Onde Comprar

“O livro é uma cortesia da Editora Galera Record. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.”