O Código Perdido – Kevin Emerson – #Resenha

Home/Livros/Resenhas/O Código Perdido – Kevin Emerson – #Resenha

Sinopse: Romance e mudanças climáticas se unem nesta distopia que tem tudo para agradar aos adolescentes. Fãs da trilogia Divergente e da série Percy Jackson vão adorar a trilogia Os Atlantes. Em O código perdido, primeiro volume desta distopia, Owen Parker precisa desvendar os mistérios que cercam sua descendência para evitar a aniquilação total da raça humana. Ele contará com a ajuda de Lily, uma garota tão encantadora quanto misteriosa, para entender o que está por trás de seu código genético e salvar o planeta Terra, devastado por mudanças climáticas. Para isso, ele precisará escapar do interesse da Corporação Éden nos seus conhecimentos ancestrais e fugir para o deserto pós-apocalíptico fora do domo do Éden. Adolescentes fascinados por histórias de mundos distópicos e obscuros, e também por mitologia, não vão conseguir largar este livro até desvendar o segredo do código perdido.

Ficha Técnica

O Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Titulo Nacional: O Código Perdido – Skoob

Titulo Original: The Lost Code – Goodreads

Autor(es): Kevin Emerson

Tradução: André Caniato

Editora: Fantasy (Editora Leya)

Ano: 2015

ISBN: 978- 85-441-0203-9

Série: Os Atlantes

Volume: 01

Número de páginas: 351

Sobre o Autor

O Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMKevin Emerson já foi banqueiro, monitos de acampamento e professor de escola primária. Atualmente é músico e autor de diversos livros de ficção. Faz parte da The Board of Education, uma banda que toca múiscas educativas para crianças. Kevin cresceu em Connecticut e agora aproveita a vida em Seattle com sua esposa e seus dois filhos. Ele também é voluntário na 826 Seattle, um braço da 826 National, uma instituição sem fins lucrativos que ensina escrita criativa a jovens de 6 a 18 anos, fundada pelo escritor Dave Eggers.

Opinião da Nathy

Não sou muito fã de livros de distopia, mas ao longo desses meses tenho me arriscado na leitura. Na esperança de encontrar algo tão bom quanto Divergente. Eu acho difícil algo me agradar da mesma forma, mas continuo procurando. Enfim, a história segue os padrões desse gênero. No começo estava muito empolgada com a leitura. Porém, depois parecia que não estava saindo do lugar. Nada estava fazendo sentido na minha cabeça e fiquei esperando os momentos de maiores tensões. Até então poderia ser apenas um livro de romance sem grandes descobertas. Mais para o final foi que fiquei novamente empolgada com o livro e desejando saber mais de sua continuação. Porque ele finaliza de uma forma para deixar o leitor naquela expectativa do que poderá ocorrer nos próximos volumes.

O livro conta a história de Parker. Um menino de quinze anos que foi enviado por seu pai para o Acampamento Éden. Ao princípio parece ser apenas mais um acampamento de verão, no entanto, logo no seu primeiro dia Parker se afoga. Depois de dez minutos debaixo da agua algo estranho ocorre com seu corpo. Assustado sem entender direito o que está acontecendo com ele conta com a ajuda de Lily. Uma menina que já passou por uma situação parecida antes. Mas, ele pode confiar apenas na menina. Porque as pessoas por trás da construção do Acampamento Éden tem planos muito perigosos para essas pessoas diferentes. Planos que podem ser a extinção da raça humana. No entanto, antes de pensar em salvar a humanidade Parker e Lily junto com seus amigos devem encontrar um modo de salvar a própria vida.

A narrativa é feita em primeira pessoa pelo Parker. Então não tem como saber quem está dizendo a verdade ou não na história. E apenas tentar uma conexão com o personagem principal. Eu, particularmente tenho um pouco de dificuldade com esse tipo de narrativa. Porque gosto de saber de tudo. Não consigo controlar a ansiedade até chegar no final do livro e ter as grandes revelações. A leitura do livro em algumas partes flui muito bem. No entanto, na metade do livro começa a se tornar cansativa. Apesar da minha empolgação com o final a narrativa continuou sendo cansativa.

Na manhã seguinte à minha chegada ao Acampamento Éden, eu me afoguei pela primeira vez.

O Parker é um personagem que se não estivesse narrando a história provavelmente nem iria me importar com ele. Muito apagado. Ele tenta ser aquele que toma as melhores decisões, mas acaba seguindo as ordens de outros. Apenas quando descobre a verdade sobre si mesmo que eu senti que mudou de comportamento. Em alguns momentos até mesmo consegui dar algumas risadas com as suas frases. Mas, no geral não conseguiu me agradar. Eu gosto quando eles assumem o controle de tudo e mesmo não tendo muita força luta contra tudo e todos. Até mesmo contra o valentão que tenta se impor sobre os demais. Não é o caso do Parker. Ele aceita a forma como o Sanguessuga o trata e aos demais meninos que não estão incluídos no grupo. Outra coisa que me incomoda é que o mais fraco sempre tem algum mistério o envolvendo. Porque o principal não pode ser forte e ainda ter esse mistério?

No começo eu estava amando a Lily. Ela sabia exatamente o que desejava e como iria lutar contra os donos do Acampamento Éden. Passou a formar diversos planos esperando que algum deles desse certo. Ela sim deveria ter sido a principal desde o começo. Toda destemida e ousada. Porém, quando estava perto do final agiu de uma forma tão vulnerável que ao mesmo tempo em que me agradou fiquei cismada. Porque pela a forma como a personagem foi construída não conseguia vê-la agindo de uma forma mais covarde. Ou até mesmo sentimental. No que se refere ao romance com o Parker teve algumas cenas, mas fiquei feliz que não foi o foco do livro. O principal era descobrir porque da existência do Acampamento Éden e porque essas mudanças estavam ocorrendo com alguns deles.

Lily estava bem ali, nossos olhos conectados.

Já Sanguessuga é o personagem que nem que ele fique bonzinho vou gostar. Quer dizer se começar a ter atitudes melhores pode ser que me encante. Nesse livro ele foi detestável. Estava se achando melhor que todo mundo e tratando os outros com desrespeito. Dava em cima das meninas de um jeito que irritava. Não é igual aos outros personagens que você fica encantada e desejando para si. Tem algo de importante por trás de sua história. Mas, nem assim consegui sentir pena ou empatia pelo menino.

Da mesma forma que detestei o Paul. O homem não mede esforços para conseguir o que deseja. E não de um jeito muito legal. Se tiver que torturar crianças para obter respostas é o que irá fazer. Qualquer um que se colocar em seu caminho ou será submetido a tortura por causa de respostas ou então morto. Na visão dele depende das informações que pode lhe ser útil. Tudo porque ele quer ter poder para si. É sempre por causa de poder e dinheiro. Ele afirma que quer salvar a humanidade de final bem trágico, quando na verdade está pensando em apenas o que pode ganhar.

Todos do Acampamento Éden estão felizes por você estar melhor.

Quem gosta do gênero literário pode gostar bastante do livro. Eu estou na curiosidade querendo saber o que irá acontecer no final dessa trajetória. Eu recomendo que deem uma chance porque as pessoas não tem a mesma opinião. Pode acabar amando ou não gostando do livro.

Quote Favorito

O Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Geralmente eu gosto quando as capas tem pessoas nelas, inclusive a original é com um casal. No entanto, eu acabei gostando muito mais da nacional. O símbolo acima do nome do livro. As cores em laranja e o nome do livro em destaque chamou muito mais a minha atenção. E com certeza ficou muito mais bonita do que a original. O nome do autor também teve o destaque sem tirar a atenção do nome do livro. A diagramação é simples. Cada capítulo inicia em uma nova página e tem marcação quando tem mudança de cena dentro do mesmo capítulo. As páginas são amarelas e grossas. Tive um pequeno problema na digitalização do livro em uma parte, mas logo consegui continuar a leitura sem problemas.

O Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Datas de Lançamento

  • O Código Perdido – Os Atlantes #1 – Lançado em 2015
  • A Costa Negra – Os Atlantes #2 – Lançado em 2016
  • The Far Dawn – Os Atlantes #3 –  Não há previsão de lançamento no Brasil

Nota da Nathy

O Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMO Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMO Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMO Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMO Código Perdido - Kevin Emerson - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Onde Comprar

“O livro é uma cortesia da Editora Fantasy. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.”
By | 2017-01-06T14:44:01+00:00 25/05/2015|Categories: Livros, Resenhas|Tags: , , , , , , , |2 Comments

About the Author:

Nathalia Garcia - A Nathy! Tem 26 anos e é formada em Psicologia. Seu maior vício são os livros, ela sempre está se arriscando em um novo desafio literário. Romances policiais são os seus favoritos. Nos últimos anos também se tornou uma apaixonada por séries. Once Upon a Time e Criminal Minds são algumas das suas séries prediletas.

2 Comments

  1. reeiih 29 de julho de 2016 at 08:42 - Reply

    Oi, a Leya acabou de lançar o segundo volume da trilogia ^^ https://www.skoob.com.br/a-costa-negra-598114ed599679.html

    • Nathalia Garcia 29 de julho de 2016 at 13:43 - Reply

      Ola Reeiih, obrigada pelo aviso vou arrumar na postagem =)

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)