Sinopse: Depois de perder a irmã gêmea para a leucemia, Ashlyn Jennings vê sua vida mudar completamente. Além de ter de aprender a conviver sem parte de si mesma, ela precisa se adaptar a uma nova rotina. Enviada pela mãe para a casa do pai, com quem mal conviveu até então, ela viaja de trem para Edgewood, Wisconsin, carregando poucos pertences, muitas lembranças e uma caixa misteriosa deixada pela irmã.

Na estação de trem Ashlyn conhece o músico Daniel, um rapaz lindo e gentil, e a atração é imediata. Os dois compartilham não só o amor pela música e por William Shakespeare mas também a dor provocada por perdas irreparáveis. Ao sentir-se esperançosa quanto a sua nova vida, Ashlyn começa o ano letivo na escola onde o pai é diretor. E não consegue acreditar quando descobre, no primeiro dia de aula, que Daniel, o belo músico de olhos azuis com quem já está completamente envolvida, é o Sr. Daniels, seu professor de inglês.

Desorientados, eles precisam manter seu amor em segredo, e são forçados a se ver como dois desconhecidos na escola. E, como se isso já não fosse difícil o bastante, eles ainda precisam tentar de todas as formas superar os antigos problemas e sobreviver a novos e inesperados conflitos.

Ficha Técnica

Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: Sr. Daniels – Skoob

Titulo Original: Loving Mr. Daniels – Goodreads

Autora: Brittainy C. Cherry

Tradução: Alda Lima

Editora: Record (Grupo Editorial Record)

Ano: 2015

ISBN: 978-85-01-10450-2

Número de páginas: 320

Sobre a Autora

Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Brittainy C. Cherry é formada em artes cênicas, com especialização em escrita criativa pela Carroll University, em Wisconsin. Quando não está escrevendo, adora brincar com seus bichinhos de estimação. Ela mora com a família em Milwaukee, Wisconsin.

Opinião da Nathy

Esse é definitivamente um lindo romance. Muitas pessoas o estão recomendando pela a história envolvente. E concordo que tem diversas partes muito lindas e tocantes. No entanto, quando li foi na mesma época de Métrica. Que tem uma história bem similar. Então não consegui me envolver tanto assim com a história e seus personagens. Tanto que novamente estava imaginando Ezra e Aria como os principais. Eu acho que deveria ter deixado para ler esse livro em uma época diferente. Dessa forma teria me apaixonado muito mais.

O livro conta a história de Ashlyn e Daniel. Ela acabou de perder a sua irmã gêmea e tenta de todas as formas superar essa perda. Como não consegue mais viver na mesma casa que sua mãe é enviada para morar com seu pai. Na estação ela conhece Daniel. Um músico misterioso que parece compreender a profunda dor dentro de Ashlyn. Como se não bastasse esses dois estarem de todas as formas tentando superar o passado. Acabam se envolvendo de uma forma romântica. Apenas para descobrir que Daniel na verdade é o seu professor de inglês. Tornando esse amor proibido.

A narrativa é feita em primeira pessoa. Com o foco mudando entre os dois principais. Gosto muito desse tipo de narrativa porque assim não perco nada da história. Apesar do forte drama no livro. A escrita da autora é leve e descontraída. Quanto mais está lendo, mais quer saber o que irá acontecer com os personagens. Acaba por te envolver de um jeito muito profundo. Já quero ler outros livros dela.

Além do mais… Quem precisa ser querida, afinal?

Eu gostei muito da Ashlyn. Ela realmente tenta superar a morte de sua irmã. Mas, carrega essa forte dor dentro de si. Ainda mais quando outros problemas surgem na sua frente. Muito determinada e não abaixa a cabeça. No entanto, algumas partes eu a achei depressiva demais. Como se talvez não quisesse sair dessa situação. Como se na verdade quisesse morrer junto com a sua irmã. Tentei compreender ao máximo o seu jeito. Gostava quando saia de casa e se envolvia com o Daniel. Sem pensar de forma culpada por estar viva e aproveitando cada momento. Ainda mais porque era exatamente isso que sua irmã iria querer. Algo que foi legal – mas como já tinha visto em Métrica não me tocou tanto – foi as cartas deixadas por sua irmã. Foi um jeito de ajudar a Ashlyn a superar essa perda.

O Daniel é a outra parte que ajuda a menina a superar os obstáculos. Ele é muito fofo. Porém, cada uma das suas falas e jeitos me lembrava o Ezra. Inclusive ele também era professor de inglês dela. Tendo o pai da menina como seu chefe. Meras coincidências para que fosse ignorado. Não conseguia distinguir um personagem do outro. Mesmo que ele fosse muito fofo e protetor. Por estar com essa imagem na mente não conseguia tornar o Daniel apenas o Daniel. Ainda assim me encontrei apaixonada pelo personagem justamente por gostar muito do Ezra. Não costumo ter essa dificuldade com os personagens. Porém, os dois estavam iguais demais para simplesmente esquecer.

Tirando o fato da perda da irmã e um outro drama o romance dos dois foi outro ponto que me lembrou Ezria. Os dois tem esse amor proibido. No começo se encontram na estação de trem, mas o romance se desenvolve em um bar. Depois se encontram na escola. Então não podem ficar juntos. No entanto, o amor fala mais alto. Tudo parecia se encaixar demais nos personagens. O romance foi muito lindo e bem trabalhado. Meu único problema foi com as semelhanças. A única diferença era que o Daniel estava a ajudando a passar pela a perda da irmã.

Beijo primeiro, perguntas depois.

Quem me fez passar raiva foi a mãe da Ashlyn. Ela se preocupou apenas com a sua perda com a sua dor. Culpou a menina de todas as formas que podia. Quando na verdade deveria ter estado presente para ajudar a filha. As duas juntas poderiam superar essa perda. Mas, ela estava apenas preocupada consigo mesma. Por isso me irritei demais. Agora o pai dela foi aquilo que deveria ser. Pelo menos no que se referia ao seu romance com o Daniel. Ninguém poderia logo apoiar mesmo que esse fosse o desejo de todo leitor.

Os personagens secundários também foram muito bem escritos. Porém, eu acho que o Jace foi quem mais se destacou. O irmão do Daniel estava muito quebrado. Teve as piores decisões possíveis e inimagináveis. Mas, tudo porque não sabia como sair do fundo do poço. Tinha orgulho demais para pedir ajuda as pessoas que estavam ao seu redor e o amavam. No final das contas não conseguia sentir raiva dele, apenas pena. Porque era alguém que precisava de ajuda, mas não sabia como pedi-la. Estava desejando um livro apenas para ele.

Se fizer a Ashlyn sofrer, vou matar você e fazer com que pareça um acidente.

Como disse antes esse é um lindo romance que vale a pena ser lido. Mas, apenas se não tiver lido nada na mesma linha recentemente. Porque senão ficara impossível de se fazer comparações. Como infelizmente foi o meu caso.

Quote Favorito

Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Eu acho a capa desse livro muito linda. Fiquei feliz quando vi que a editora manteve a original. Com a menina olhando para o campo. Ela parece muito frágil e perdida. As cores um pouco mais escuras combinaram muito. Assim como aquelas mais claras. O nome do livro em destaque é algo que gostei bastante. Porém, nessa cor eu acho que acabou ficando um pouco apagada.

Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

A diagramação é simples. Cada capítulo inicia em uma nova página. Em cima tem o nome de quem está narrando e alguma frase de efeito. As páginas são amarelas e grossas. Também quando tem mudança de cena dentro do capítulo tem uma marcação. Não tive problemas com a tradução/digitalização.

Nota da Nathy

Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Sr. Daniels - Brittainy C. Cherry - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

 

Onde Comprar

“O livro é uma cortesia da Editora Grupo Editorial Record. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.”