Sinopse: Depois da morte de seu amigo, Sam parece um fantasma vagando pelos corredores da escola, o que não é muito diferente de antes. Ele sabe que tem que aceitar o que Hayden fez, mas se culpa pelo que aconteceu e não consegue mudar o que sente. Enquanto ouve música por música da lista deixada por Hayden, Sam tenta descobrir o que exatamente aconteceu naquela noite. E, quanto mais ele ouve e reflete sobre o passado, mais segredos descobre sobre seu amigo e sobre a vida que ele levava. A Playlist de Hayden é uma história inquietante sobre perda, raiva, superação e bullying. Acima de tudo, sobre encontrar esperança quando essa parte parece ser a mais difícil. Primeiro Capítulo.

Ficha Técnica

A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: A Playlist de Hayden Skoob

Titulo Original: Playlist for the Dead – Goodreads

Autora: Michelle Falkoff

Tradução: Amanda Orlando

Editora: Novo Conceito (Grupo Editorial Novo Conceito)

Ano: 2015

ISBN: 978-85-8163-704-4

Número de páginas: 288

Sobre a Autora

A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Michelle Falkoff é graduada pela Iowa Writers’ Workshop e hoje é a Diretora de Comunicação e Lógica Jurídica da Northwestern University School of Law. A Playlist de Hayden é o seu primeiro livro.

Opinião da Mari

Sou apaixonada por música, então a ideia de conhecer uma pessoa, apenas através de sua playlist, não poderia soar mais interessante aos meus ouvidos. Dessa maneira, estava curiosa para realizar a leitura de A Playlist de Hayden, mas com receio de quão melancólica sua história seria, exatamente como aconteceu. Musicalmente falando, eu surtaria ouvindo algumas poucas músicas com Hayden, mas provavelmente deixaria ele curtir sua solidão na maior parte do tempo, assim como Sam imaginava que fazia.

Houve uma festa, uma briga e na manhã seguinte Hayden estava morto. Sam o havia encontrado junto com um bilhete e um pen-drive, que continha a playlist que deveria lhe explicar o motivo do seu suicídio. Sam se sente culpado pela morte de seu amigo e ao ouvir a playlist reflete sobre diversos acontecimentos tentando entender exatamente o que aconteceu na fatídica noite. MUITA coisa aconteceu.

O que ele esperava que eu dissesse? Que ambos éramos desajustados sociais que não conseguiam se encaixar em lugar nenhum? Que salvamos um ao outro da solidão durante um bom tempo e que de repente estava tudo acabado?

O livro é um young-adult bem melancólico, como imaginei que seria. E mesmo tentando ler ele em três momentos diferentes, não consegui me identificar, me conectar, me apaixonar, ou, me emocionar com a história. E sendo bem sincera, não sei bem o motivo. Talvez tenha sido a narrativa da autora, talvez tenha sido a personalidade dos personagens, a premissa da história ou uma mistura de tudo.

O livro em si não é ruim, sabe, apenas não consegui me envolver com sua história. Ainda assim, ele me fez refletir um pouco e cheguei à conclusão de que nunca seremos capazes de conhecer uma pessoa completamente, independente de quão próximo ou quão perto vivamos dela. Sam e Hayden eram melhores amigos, viviam juntos, teoricamente sabiam tudo um do outro. Mas, a verdade é que Hayden tinham outras pessoas em sua vida. Pessoas que também foram peças essenciais para os acontecimentos da festa e posteriormente sua morte.

O que me fez pensar se todo mundo tinha uma vida secreta, aqueles aspectos da gente que não combinavam com o que pareciam ser.

A minha curiosidade de saber o que realmente aconteceu foi o que mais me motivou a continuar com a leitura. Queria saber quem era o culpado pela morte de Hayden. Mas, será que realmente existia um único culpado? Será que há uma explicação simples para esse tipo de acontecimento? Hayden, Sam, Astrid, Jess, Eric, Jason, Ryan, Trevor precisam lidar com bullying, homofobia, a pressão dos pais, do primeiro amor, a perda, a raiva, a solidão, etc. No fim, ninguém possui uma vida perfeita, algumas pessoas são mais fortes, outras são mais fracas e chegam ao limite.

Enfim, o livro não funcionou para mim, como eu gostaria, mas me fez refletir, o que me diz que sua leitura valeu a pena. Não me conectei com os personagens, mas pode ser que seja diferente com alguém mais jovem, inclusive não me surpreenderia se o livro ajudasse alguém na mesma situação, mesmo passando longe de ser um livro autoajuda.

Quote Favorito

A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

A capa do livro foi uma das coisas que mais me chamou atenção. Gostei muito do contraste azul e preto e a forma que as duas pessoas estão ligadas através de Hayden e sua playlist.

A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

A diagramação do livro também está bem satisfatória. As páginas são amarelas e os capítulos iniciam sempre em uma nova página. Várias fontes são usadas, uma para o início da frase, outra para as trocas de mensagens, além da fonte padrão. Todas elas de fácil leitura, com bom tamanho e espaçamento.

O livro não possui muitos detalhes adicionais, apenas a imagem do bilhete de Hayden e a música referente a cada capítulo. A playlist completa vocês conferem ao lado.

Nota da Mari

A Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMA Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMA Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMA Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMA Playlist de Hayden - Michelle Falkoff - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Onde Comprar

O livro é uma cortesia da Editora Novo Conceito. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.