Soldier: Leal até o fim – Sam Angus – #Resenha

///Soldier: Leal até o fim – Sam Angus – #Resenha

Sinopse: Quando Tom Ryder é convocado para lutar na Primeira Guerra Mundial, não imagina o quanto o seu irmão mais novo, Stanley, sentirá sua falta. A única alegria do garoto são os filhotes de Rocket, a cadela premiada que é o orgulho da família. Porém, ao descobrir que Rocket teve filhotes mestiços, o pai de Stanley fica furioso e ameaça afogar os cãezinhos.

Inconformado e desejando reencontrar Tom, Stanley foge de casa. Mentindo a idade, consegue se alistar no exército britânico. Somente o amor incondicional pelos animais será capaz de fazê-lo sobreviver à brutalidade e à frieza dos campos de batalha. Uma prova de que a inocência e a sensibilidade podem ser mais poderosas do que a guerra.

SOLDIER: Leal até o fim é um livro emocionante e intenso, recomendado para leitores de todas as idades, especialmente para os apaixonados por cães. Primeiro Capítulo.

Ficha Técnica

Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: Soldier: Leal até o fim – Skoob

Titulo Original: Soldier dog – Goodreads

Autora: Sam Angus

Tradução: Julio de Andrade Filho

Editora: Novo Conceito (Grupo editorial Novo Conceito)

Ano: 2015

ISBN: 978-85-8163-402-9

Número de páginas: 251

Sobre a Autora

Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Nasceu na Itália, cresceu na França e na Espanha e estudou nas mais diferentes escolas. Na Trinity College, em Cambridge, onde se graduou em Literatura Inglesa, Sam cuidava de um cachorro até descobrir que ele havia sido levado embora em um cesto de roupa suja. Ela lecionou Inglês, passou dez anos trabalhando com moda e hoje é escritora em tempo integral. Sam vive entre Exmoor e Londres com uma quantidade insensata de crianças, cães e cavalos.

Opinião da Nathy

Eu tinha certeza que esse seria um livro muito emocionante. Não poderia ser ao contrário, afinal está falando sobre os tempos de guerra. Estava imaginando que seria algo no estilo de Cavalo de Guerra. Com os acontecimentos como se fosse na visão dos animais. Mostrando o que eles poderiam ter passado na guerra. Mas, me enganei. O livro fica focado em Stanley e seus medos. Apesar disso eu gostei muito do livro. Teve diversos momentos em que fiquei com os olhos cheios de lágrimas. Em outros nem conseguia respirar devido a tensão do momento. Gosto quando os livros me prendem desse jeito.

O livro tem o foco em Stanley Ryder. Após seu irmão mais velho ter sido convocado para a guerra ele vê sua vida mudar drasticamente. Seu pai parece não se importar com mais ninguém. Apenas desejando que seu filho retorne em segurança. Com isso tudo o que Stanley faz é visto de forma errada pelo pai. Tudo piora entre os dois quando Stanley acredita que seu pai afogou o seu novo cachorrinho. Não suportando essa dor Stanley resolve se alistar na guerra. Desse jeito encontrar uma forma de ficar com seu irmão mais velho e bem longe de seu pai. Mas, nada é como Stanley pensava e se vê a cada dia tendo que lutar por sua própria vida.

A narrativa é em terceira pessoa com o foco em Stanley. Apesar da temática sombria e densa. O livro tem uma leveza. Os capítulos são curtos o que ajuda no envolvimento pela a história. Porque assim que o capítulo é finalizado você já deseja o próximo. Para assim saber o que aconteceu com Stanley e os animais na guerra. Gostei da forma como a autora descreveu tudo, mesmo que não tenha sido da forma que esperava.

Doze horas haviam se passado. A última vez que ele a viu fora às oito da manhã.

Eu gostei muito do Stanley. Ele começa como um menino de quatorze anos que não faz ideia do que sua decisão provocou em sua vida. E também das pessoas ao seu redor. Foi muito ingênuo pensando que conseguiria entrar na guerra e ficar ao lado de seu irmão. Tudo porque não tinha ideia do que era estar na guerra. Porém, uma vez que tem seu primeiro combate algo muda dentro dele. No final do livro já não parecia aquele menino inocente. E, sim alguém que viu coisas horríveis e não seria capaz de esquecer. Apesar de ter sempre em mente seu pai, irmão e seu cachorro. Não parecia se importar com as outras pessoas. Apenas com esses três. Eu relevei porque era importante que tivesse um objetivo. Um motivo para sobreviver.

Eu me apaixonei pelos dois cachorros que tem foco nesse livro. O Bones e o Pistol. Logo quando o Bones foi apresentado eu fiquei com o coração apertado imaginando o que podia acontecer com o cachorro. A guerra não é uma brincadeira. E o cachorro parecia o Stanley no começo. Brincando e latindo feliz em todos os momentos. Até que passa por algo mais difícil. Já o Pistol parecia representar o Stanley depois desses acontecimentos difíceis. Alguém que já tinha visto muito sofrimento. Mas, lutaria até o final para sobreviver. A lealdade desses dois com o Stanley foi algo muito perfeito de se ler. Fiquei na expectativa por esses dois. Vontade de apertar muito forte e nunca soltar.

Você sabia assim que me viu, você sabia o tempo todo, mas eu, eu não percebi…

O pai do Stanley é realmente cruel no começo. Não parece gostar de ninguém. Mas, depois eu comecei a entender melhor seus sentimentos. E até fiquei com pena dele porque tinha dois filhos na guerra. Não deve ser algo fácil de se lidar. Por isso não morri de amores. Ao mesmo tempo em que conseguia entendê-lo. Já o Tom – irmão do Stanley – apenas aparece no livro através de cartas. Então fica meio complicado gostar do personagem. Ou até mesmo simpatizar com suas decisões.

Os personagens secundários que passam na vida do Stanley também tiveram um bom destaque. Os que mais marcaram foram os irmãos McManus. Eu fiquei tão apegada aos dois que não via o momento de o livro acabar e esses dois ficarem vivos. Porque não queria derramar nenhuma lágrima. As cenas deles com o Stanley eram bem emocionantes. Pareciam estar cuidando de seu irmão mais novo.

Hamish e James estavam pálidos, devastados, abatidos, todas as esperanças de receber notícias daqueles homens cercados no bosque agora perdidas.

Não é um livro que recomendo para todas as pessoas. Tem um drama muito mais pesado. Mas, eu recomendo que leiam. Porque a mensagem no livro e essa história são muito lindas.

Quote Favorito

Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Essa capa é muito linda apesar de triste. O olhar do cachorro parece muito triste e perdido. Mas, eu gostei que ele foi colocado na frente e de fundo tem o tanque. As cores sombrias também passam uma imagem mais dramática. A diagramação é simples. Cada capítulo inicia em uma nova página. Não tem marcação quando ocorre mudanças de cenas. Mas, tem figuras quando ocorre mudanças de partes. No começo de cada capítulo também tem estrelas. Não tive problemas com a tradução/diagramação.

Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Nota da Nathy

Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Soldier: Leal até o fim - Sam Angus - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

 

Onde Comprar

“O livro é uma cortesia da Editora Novo Conceito. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.”
By | 2017-03-13T16:09:17+00:00 09/10/2015|Categories: Livros, Resenhas|Tags: , , , , , , |0 Comments

About the Author:

Nathalia Garcia - A Nathy! Tem 26 anos e é formada em Psicologia. Seu maior vício são os livros, ela sempre está se arriscando em um novo desafio literário. Romances policiais são os seus favoritos. Nos últimos anos também se tornou uma apaixonada por séries. Once Upon a Time e Criminal Minds são algumas das suas séries prediletas.

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)