Meu amor, meu bem, meu querido – Deb Caletti – #Resenha

Home/Livros/Resenhas/Meu amor, meu bem, meu querido – Deb Caletti – #Resenha

Sinopse: É verão no nordeste da cidade de Nine Mile Falls e Ruby McQueen, de 16 anos, comumente conhecida como A Garota Calada, está saindo com o maravilhoso, rico e louco por emoções Travis Becker. No entanto, Ruby está num beco sem saída e percebe que se arrisca cada vez mais quando está com Travis. Em um esforço para manter Ruby ocupada, sua mãe, Ann, a arrasta para o clube de leitura semanal que ela comanda. Quando descobrem que uma das criadoras do clube é a protagonista de uma trágica história de amor que estão lendo, Ann e Ruby planejam um encontro dos amantes de longa data. Contudo, para Ruby essa missão acaba sendo muito mais do que apenas uma viagem. Primeiro Capítulo.

Ficha Técnica

Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: Meu amor, meu bem, meu querido – Skoob

Titulo Original: Honey, baby, sweetheart – Goodreads

Autora: Deb Caletti

Tradução: Maysa Monção

Editora: Novo Conceito (Grupo Editorial Novo Conceito)

Ano: 2013

ISBN: 978-85-8163-158-5

Número de páginas: 238

Sobre a Autora

Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Deb Caletti e sua família vivem metade do tempo no subúrbio de Seattle e outra metade em um barco, num tipo de casa flutuante. Suas melhores inspirações vêm de sua mãe, seus filhos e de seu cachorro, os quais não parecem se importar. Quando não está escrevendo ou lendo livros, Deb se dedica à pintura e a aulas.

Booktrailer

Opinião da Nathy

Quando li Um Lugar para Ficar tinha gostado demais da história, mas senti que estava faltando uma parte. Com esse também senti a autora deixou de se aprofundar uma temática já vista no outo livro dela. Os livros dela são sempre interessantes, principalmente para os adolescentes que vivenciam esses conflitos. Nesse a busca pela a própria identidade está bem evidenciada. Não tive tantos problemas assim na minha adolescência, mas algumas coisas eu cheguei a me identificar. Mesmo porque nessa idade por mais que queira parecer descolado ainda não sabe exatamente quem é você ou quem quer ser.

Os amigos e namorados são os que mais têm influência nesse tipo de decisão. Ao invés de pensar em não ir contra aquilo que acredita, passa a deixar seus valores de lado e se espelhar na outra pessoa. Faz de tudo para agradá-la e se sentir parte daquele bando. Gostei da forma que abordou isso na vida da principal. A forma como ela descobre o que realmente deseja para a sua vida é muito bem. Nada fica jogada quanto a isso. Mas, na parte sobre namorados um tanto quanto obsessivos a autora deixa de lado. E nesse livro ainda que não fosse o foco teve uma evidência de que o personagem era desse jeito.

A narrativa é em primeira pessoa e fica por conta de Ruby. Uma adolescente que tinha uma vida muito monótona até que conhece Travis – parece que esse nome é ligado diretamente com problemas. Depois disso parece que sua vida gira em função do rapaz e nada pode fazê-la mudar de ideia. Até que acontece aquele choque de realidade e a menina começa a se questionar sobre o que realmente sabe. Começa mesmo a viver a sua vida. Com tantas mudanças não ficou cansativa a história e fluiu muito rápido.

Foi um momento, um único momento que pode mudar as coisas se você decidir tentar ser uma pessoa diferente.

A Ruby é a típica adolescente dos livros. Quase sem amigos, nada popular na escola e nenhum menino lhe dava atenção. Sei que a maioria das adolescentes passa por esses momentos na escola, mas chega a me irritar um pouco que elas sempre são sem personalidade. Somente depois que teve o Travis em sua vida parecia ter algum sentido em tudo. Até o ponto em que percebe que nem tudo deve girar em torno de uma única pessoa. Apesar de no começo não ter gostado muito da personagem, ela vai amadurecendo ao longo do livro e fazendo escolhas mais sábias, ainda que lhe machuque demais.

Era surpreendente que ninguém houvesse notado que eu não era mais quem costumava ser.

O seu romance com o Travis é muito conturbado. Mas, como terminar um namoro quando está tão presa ao rapaz. Quando ele sabe que ela nunca seria capaz de deixá-lo. O Travis não é nada fofo e já aparenta seus problemas desde o começo, mas por estar cega de amor a Ruby não percebe nada de errado. Não gostei muito da finalização que a autora deu aos dois. Como disse antes parece que quis abordar isso, mas acabou se perdendo no meio de outra história. Sem contar que nos dois livros os mocinhos pareciam realmente ter alguma obsessão com as mocinhas. Como se não aceitassem que estavam no final do relacionamento e nada pudesse mudar.

Para Ruby entender algumas dificuldades em sua vida passa a fazer parte do grupo de leitura de sua mãe. E não somente a menina acaba aprendendo com os erros delas como também os leitores. Inclusive tem uma linda história de amor não contada dentro do clube. Quando vem a tona nossa fiquei na maior expectativa do que iria acontecer. Aquela sim era uma história de amor que merecia ser contada para todos e ter um final feliz. Mas, não irei contar para não estragá-la para vocês.

Pegar carona na moto de Travis Becker foi uma experiência próxima de voar, para mim.

Um livro para principalmente pessoas que se encontram nessa fase da busca de uma identidade. Mas, também para aqueles para que já se descobriram e relembrar como se sentiam naquela época.

Quote Favorito

Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMEu gostei muito da capa desse livro. Não digo ser uma das minhas favoritas, mas tem um toque de muita leveza. A menina dentro do carro no meio do mato, mostrando a sua viagem ficou muito legal. E por ser um livro mais leve a capa combinou bem com a história. Melhor de tudo é que foi mantida da capa original. Ainda que a editora tenha acrescentado à frase.

Já a diagramação é no padrão da editora. Os capítulos iniciam em uma nova página e as mesmas são amarelas. Tem uma imagem pequena no final de cada página. Mas, com muda de cena dentro do mesmo capítulo não tem nenhuma marcação. As letras são de um bom tamanho. E não vi nenhum problema no livro que atrapalhasse a minha leitura.

Nota da Nathy

Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM Meu amor, meu bem, meu querido - Deb Caletti - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Onde Comprar

O livro é uma cortesia da Editora Novo Conceito. A resenha realizada aponta os pontos positivos e\ou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.

About the Author:

Nathalia Garcia - A Nathy! Tem 26 anos e é formada em Psicologia. Seu maior vício são os livros, ela sempre está se arriscando em um novo desafio literário. Romances policiais são os seus favoritos. Nos últimos anos também se tornou uma apaixonada por séries. Once Upon a Time e Criminal Minds são algumas das suas séries prediletas.

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)