Sinopse: Ele precisava de uma namorada de mentira. Ela precisava de ajuda financeira. Mas será que eles vão conseguir não misturar os sentimentos com os negócios? Mal Ericson, o baterista da mundialmente famosa banda de rock Stage Dive, precisa melhorar sua imagem, e rápido. Ter uma boa garota ao seu lado parece ser o suficiente. Mal não planejara que este artifício temporário se tornasse permanente; no entanto, ele não esperava encontrar o amor de sua vida. Anne Rollings jamais pensou que conheceria o rockstar que inundava as paredes de seu quarto na adolescência – especialmente não naquelas circunstâncias. Anne está com problemas financeiros, e dos grandes. Porém, ser paga para ser a namorada de mentira de um selvagem e festeiro baterista não poderia terminar bem, não importa se ele é muito gostoso. Será que um final feliz é possível nesse caso?

Ficha Técnica

Play - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: Play – Skoob

Titulo Original: Play – Goodreads

Autora: Kylie Scott

Tradução: Cristina Tognelli

Editora: Universo dos Livros

Ano: 2015

ISBN: 978-85-7930-949-6

Série: Stage Dive | Volume: 02

Número de páginas: 319

Sobre a Autora

Play - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Kylie Scott é uma autora best-seller do USA Today e do The New York Times. Foi eleita escritora do ano em 2013 pela Australian Romance Writer’s Association e seus livros já forma traduzidos para vários idiomas. É fã de longa data de romances eróticos, rock and roll e filmes de terror lado B. Ela mora em Queensland, na Austrália, com o marido e seus dois filhos.

Opinião da Nathy

Eu tinha gostado bastante do primeiro livro. Estava curiosa para saber como seria a história dos demais membros. Não estava com as expectativas altas. Ainda mais depois de ler a sinopse. Porque o plot de namoro falso todo mundo sabe no que irá terminar. O problema era como eles iriam lidar com essa situação. Porque geralmente rola todo um drama de estamos apenas fingindo. Não quero aceitar meus sentimentos e tudo mais. Porém, foi uma surpresa agradável nesse. Tem um drama bem forte e tocante. Que envolve o casal principal. Acaba tendo um impacto no relacionamento deles. No entanto, gostei da forma como foi abordado. Apenas o final foi um pouco corrido. Poderia ter explorado mais.

Play conta a história de Mal Ericson – baterista do Stage Dive – e da Anne. Um dia Anne chega em casa para perceber que foi “roubada” por sua colega de quarto. Totalmente triste com a situação não sabe o que fazer. Até que sua amiga a convida para ir em uma festa. Relaxar um pouco e pensar apenas no dia seguinte. E nessa que sua vida muda completamente. Nela conhece Mal. Não planejava se envolver com ninguém. Afinal sua vida estava uma bagunça. E Mal iria piorar tudo. Ou melhorar. Ele precisa de uma namorada de mentira. Porque seus pais querem vê-lo feliz ao lado de alguém. E não tinha ninguém mais perfeito para o papel do que Anne. Mas, claro o que começa como um namoro falso. Acaba se tornando em algo muito mais forte. Eles apenas precisam ser corajosos para aceitar esse futuro.

A narrativa é em primeira pessoa. Anne é quem leva o leitor nessa maravilhosa história. Algo que me incomodou um pouco. Porque acaba tendo diversos segredos da parte do Mal. E ele não divide com ninguém. Pelo menos durante um tempo. Eu queria ter visto mais dos seus sentimentos. Dos seus pensamentos. Continuo gostando bastante do modo de escrita da autora. Tudo acaba fluindo bem sem nenhuma enrolação.

Havia algo errado. Soube disso no instante em que passei pela porta.

A Anne é uma das personagens mais azaradas que já vi. Ela é apaixonada por um homem que não se importa com ela. Aliás, a usa da forma que deseja. Tem um trabalho que suga todas as suas forças. Uma colega de quarto bem sacana. Entre outros problemas. Ela não consegue dizer não para as pessoas por isso se colocava em posições difíceis. Não foi diferente com o Mal. No entanto, ela teve uma evolução muito boa ao longo do livro. Foi tendo mais coragem de enfrentar seus problemas. E também as pessoas ao seu redor. Não deixava mais ninguém pisar em sua cabeça. Foi conseguindo ter o meu respeito. Apenas no final eu acho que poderia ter aguentado um pouco mais.

Já o Mal ele aparenta ser um bad boy. Curti todas as mulheres que aparece na sua frente. Fica bebendo até cair desmaiado no chão. E faz diversas piadas o tempo inteiro. Aliás, quando abre a boca tudo se torna uma piada. No entanto, quanto mais conhece o personagem. Mais consegue perceber que isso tudo é uma máscara. Ele é um homem bem vulnerável passando por um momento delicado em sua vida. Acredita que deve enfrentar tudo sozinho. Que precisa agir como sempre para ninguém desconfiar. No entanto, todos ao seu redor consegue perceber que ele está quebrado. Que algo ocorreu em sua vida que o deixou daquele jeito. Ainda mais quando começa a tocar a bateria como um louco. Gostei muito dele, porém podia ter sido menos teimoso.

O romance dos dois é bem divertido. Tudo começa como uma brincadeira. Mas, logo a atração fala mais forte. A forma como tudo começa é muito engraçada. O Mal fala as coisas como se nem se importasse. Toma as decisões necessárias. Eu me diverti bastante com eles. Isso quando estavam no lado falso do romance. Quando tornou verdadeiro então começou a pegar fogo. Os dois nossa pareciam que não queriam mais desgrudar um do outro. O Mal principalmente se tornou mais carinhoso e ciumento. Tem cenas quentes entre os dois. E momentos quentes engraçados. Não poderia ser diferente com os dois.

Admita que sou a razão do seu viver. Admita!

E os secundários continuam sendo uns amores. Até aqueles que não gostava no primeiro livro. Como Ben e o Jimmy. Eles conseguem trazer ainda mais leveza ao livro. Deixando o Mal extremamente irritado e ciumento. O Davie continua um coelho o tempo inteiro. Também conseguiu me fazer rir quando expulsou Mal de casa. Depois desse livro fiquei mais ansiosa pelos próximos volumes. Não faço ideia de como será o romance deles. Ainda mais por causa dos problemas de Jimmy. Não gostaria de vê-lo tendo uma recaída. Ele foi bem idiota no primeiro livro. A irmã dela Lizzy deve fazer par com algum deles. Eu ia gostar bastante. Adorei a personagem e sua leveza.

O drama ficou por parte dos pais dele. A relação entre eles é ótima. Percebe-se facilmente o amor nessa família. Por isso torna a dor muito pior. Fiquei bem triste pelo Mal. No entanto, ele não estava sabendo como lidar com essa notícia. Ele ficou bem perdido. Eu me importei apenas por causa dele. Porém, poderia ter sido mais explorada esse drama familiar. Não simplesmente jogado no livro como uma verdadeira bomba. Teria tido outros sentimentos se isso tivesse ocorrido.

Por fim, o personagem muito chato no livro Reece. Não fiquei nem com um pouco de pena dele. Sempre tratou a Anne como uma amiga. Nem como isso. Porque sabia que ela tinha sentimentos por ele e usava isso da forma que desejava. Mesmo que isso magoasse cada vez mais a moça. Queria as coisas do jeito. E no momento que percebe que está perdendo ela resolve se tornar apaixonado. Foi um verdadeiro idiota. Por um momento pensei que a Anne seria fraca e cairia em seus braços. Ainda bem que ela é bem mais esperta que isso.

Ai, meu Deus, Anne te ama! Ela tinha uma parede inteira do quarto dedicada a você!

Um romance bem leve e divertido. Aproveitei cada segundo dele. Recomendo mais para quem gosta de romance. Não tem nada além disso. Tudo é voltado para o romance entre duas pessoas. Porém, tem que ser lido na ordem. Porque mesmo que as histórias sejam independentes. Acaba tendo spoilers do casal anterior.

Quote Favorito

Play - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Eu gostei muito mais dessa capa do que do primeiro. A forma como ele está deitado combinou bastante. No entanto, eu tive a sensação do personagem ser mais frágil. E na capa fica como se ele fosse mais forte. Sedutor e tudo mais. Ainda assim gostei bastante. O nome do livro está em grande destaque. O nome da autora também tem destaque sem roubar a cena. Tudo ficou em harmonia.

Play - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

A diagramação é simples. Cada capítulo inicia em uma nova página. Tem uma pequena marcação quando ocorre mudanças de cenas no mesmo capítulo. As páginas são amarelas e grossas. Não tive problemas com a tradução/digitalização.

Nota da Nathy

Play - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMPlay - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMPlay - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMPlay - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMPlay - Kylie Scott - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Datas de Lançamento

  • Lick – Stage Dive #1 – Lançado em 2015 – Resenha
  • Play –  Stage Dive #2 – Lançado em 2015
  • Lead –  Stage Dive #3 – Não há previsão de lançamento no Brasil
  • Deep –  Stage Dive #4 – Não há previsão de lançamento no Brasil

Onde Comprar

O livro é uma cortesia da Editora Universo dos Livros. A resenha realizada aponta os pontos positivos eou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.