Sinopse: Ela precisava de dinheiro. E nem sabia que gostava tanto de sexo. O fenômeno editorial do ano e best-seller do New York Times, USA Today e Wall Street Journal Mia Saunders precisa de dinheiro. Muito dinheiro. Ela tem um ano para pagar o agiota que está ameaçando a vida de seu pai por causa de uma dívida de jogo. Um milhão de dólares, para ser mais exato.

A missão de Mia é simples: trabalhar como acompanhante de luxo na empresa de sua tia e pagar mensalmente a dívida. Um mês em uma nova cidade com um homem rico, com quem ela não precisa transar se não quiser? Dinheiro fácil. Parte do plano é manter o seu coração selado e os olhos na recompensa. Ao menos era assim que deveria ser. Em janeiro, Mia vai conhecer Wes, um roteirista de Malibu que vai deixá-la em êxtase. Com seus olhos verdes e físico de surfista, Wes promete a ela noites de sexo inesquecível — desde que ela não se apaixone por ele.

Ficha Técnica

A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: A Garota do Calendário: Janeiro – Skoob

Titulo Original: Calendar Girl: January – Goodreads

Autora(s): Audrey Carlan

Tradução: Andréia Barboza

Editora: Verus Editora (Grupo Editorial Record)

Ano: 2016

ISBN: 978-85-7686-506-3

Série: A Garota do Calendário | Volume: 01

Número de páginas: 144

Sobre a Autora

A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMAudrey Carlan é uma autora best-seller do New York Times, USA Today e do Wall Street Journal. Alguns de seus trabalhos incluem as séries Falling e Calendar Girl (no Brasil, “A Garota do Calendário”, pelo Grupo Editorial Record, sob o selo Verus).

Opinião da Nathy

Não estava com uma perspectiva muito boa com relação ao livro. Não faz o estilo literário que gosto. Mas, ainda assim queria me arriscar. Então antes de começar eu tive uma conversa com a Mari. Ela conseguiu me fazer pensar que cada um dos rapazes pudesse ser um ator diferente. Alguém que gostaria de conhecer e que poderia ter uma relação legal. Já que é para imaginar vamos sonhar muito alto. Diante dessa ideia passei a querer ler muito mais o livro. E aproveitei muito a leitura. Mesmo não sendo o tipo de livro que me cativa. A Audrey conseguiu escrever de um jeito que me prendeu. Queria saber o que iria acontecer no final do livro. E na expectativa dos próximos volumes.

A Garota do Calendário – Janeiro conta o começo da história de Mia Saunders. Após o seu último namorado dar um golpe em sua família ela se encontra em uma grande dívida. Junto disso seu pai está internado no hospital em coma. Depois de ter apanhado dos homens de Blaine. Diante de tantos problemas ela decidi se tornar uma acompanhante na agência de sua tia. Em seu primeiro trabalho ela conhece Wes. Um homem incrivelmente lindo e simpático. Um homem que desperta sensações dentro de si muito tempo adormecidas. Agora resta saber se Mia conseguirá guardar o seu coração. Porque logo terá que partir seu próximo cliente.

A narrativa é em primeira pessoa. Sendo tudo na visão de Mia. Ela quem conduz o leitor para essa grande aventura em sua vida. E por mais que eu goste que tenha os dois pontos de vista nesse caso funcionou melhor desse jeito. Tendo apenas Mia relatando seus sentimentos. Porque era o que estava importando no momento. A autora consegue escrever de um modo que consegue prender sua atenção do começo até o final. Fica difícil de largar o livro. Ainda mais porque a leitura é bem rápida. Em poucas horas já está terminando.

Amor verdadeiro não existe.

A Mia é tudo aquilo que não estava esperando. Já imaginava que seria uma menina ingênua sem saber que rumo tomar em sua vida. Que estava sendo manipulada por sua tia e todos ao seu redor. Que fosse ser sem nenhuma personalidade. E como estava errada. Felizmente a personalidade dela é ao contrário. Uma menina determinada e corajosa. Uma vez que começa a trabalhar como acompanhante tenta tirar o máximo de proveito disso. Tem controle sobre seu corpo e suas regras. Faz apenas aquilo que tem vontade. Mesmo que tenha sido contratada para fazer as vontades de Wes. E vibrei demais com ela. Porque ao contrário de várias mocinhas não fica chorando por causa de Wes. Sabe o que espera a sua vida e não volta atrás. Encare tudo de frente.

Já Wes começa de um jeito de conquistador barato. Um homem que acredita que todas as mulheres querem dormir com ele. Tem um ótimo emprego e se dedica ao máximo em sua profissão. Apesar de tudo eu gostei bastante dele. Suas frases condiziam com seu comportamento. E aos poucos era possível perceber a mudança em seu comportamento. E em seus sentimentos. No entanto, eu acho que faltou alguma coisa para me fazer ficar apaixonada. Senti que ele foi uma pessoa importante que passou na vida da Mia. Mas, não estou convencida de que seja o homem certo. Aquele com quem irá construir o seu futuro. Em alguns momentos agia como um menino sem o seu brinquedo. E a Mia tinha pulso firme nesse relacionamento.

Algo inegável é que os dois fazem o livro pegar fogo. As cenas são bem descritas, mas sem ser vulgar. A Audrey consegue trazer um erotismo sem usar palavras pesadas. Os dois não me fizeram acreditar que poderia ter algum sentimento mais forte. Tudo se tratava de uma forte atração sexual. Algo que precisavam tirar de seu sistema. Não gosto muito disso, mas nesse caso combinou. Mesmo porque não estava torcendo por eles como um casal.

Que comece o jogo Srta Mia.

A família do Wes aparece bastante. A mãe dele foi a responsável na escolha por Mia. No entanto, ela não mantinha aquela pose fria e calculista. Ela tinha um lado muito doce e meigo. No entanto, em algumas partes ela parecia ser bem distante. Como se tudo não se tratasse de uma representação. A “babá” parecia muito mais próxima dele do que a sua mãe. O jeito que eles estavam interagindo não me passou uma sensação calorosa. Mesmo que todos estivessem tratando o assunto com tranquilidade.

Agora no que se refere a família da Mia é problema atrás de outro. Seu pai em coma depois da surra que levou não ajuda em nada. Ela tem toda a responsabilidade da casa em suas mãos. Tem que cuidar de sua irmã Maddy. Porque não quer que seja perseguida por Blaine e companhia. A sua tia parece se importar menos ainda com ela. Poderia ter encontrado outro jeito de ajudar a sobrinha. Mas, tudo o que pensa é no dinheiro que irá conseguir com ela. Por isso escolhe os homens mais ricos para a menina. Espero que ela tenha mais papel nos próximos volumes.

Do mesmo jeito que a melhor amiga de Mia pouco aparece. Ela tem um jeito bem engraçado e cativante. Pode ser a responsável pela a leveza do livro. Um jeito bem descontraído. Inclusive querendo trabalhar ao lado da amiga. A conversa das duas é muito engraçada. Muitas pessoas podem acabar se identificando. Mesmo que Mia passe mais tempo sendo acompanhante quero cenas delas com essa amiga. Que acredito que será uma boa adição ao livro.

Depois me conta como foi o encontro na Exquisite Acompanhantes de Luxo. Se puder, me ligue à noite.

Se gosta de romance erótico é uma boa pedida. Mesmo sendo em poucas páginas a autora consegue trabalhar com profundidade os personagens. O livro é bem leve e divertido. Ainda que tenha como plano de fundo um tema pesado. Eu já quero ler o segundo livro e saber o que irá aprontar em fevereiro.

Quote Favorito

A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Antes dos lançamentos dos livros a editora fez uma votação em relação as capas. E sinceramente fico feliz que essa tenha sido a ganhadora. Senão me engano tinha outra muito bonita. Porém, essa combinou muito mais. Cada livro terá ela com um vestido e homem diferente. Nesse caso ela está com um vestido aberto e roxo. Muito lindo diga-se de passagem. O nome do livro tem um bom destaque. E foi uma jogada muito boa colocar o mês na lateral. Dando seu devido destaque.

A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

A diagramação é simples. Cada capítulo inicia em uma nova página. Tem uma arte no começo de cada capítulo. E também quando ocorre mudanças de cenas dentro do mesmo. As páginas são amarelas e grossas. Não tive problemas com a tradução/digitalização.

Nota da Nathy

A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM A Garota do Calendário: Janeiro - Audrey Carlan - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Datas de Lançamentos

O livro é uma cortesia da Grupo Editorial Record. A resenha realizada aponta os pontos positivos eou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.