Sinopse: Este clássico da literatura feminista foi publicado originalmente em 1892, mas continua atual em suas questões. Escrito pela norte-americana Charlotte Perkins Gilman, ele narra, em primeira pessoa, a história de uma mulher forçada ao confinamento por seu marido e médico, que pretende curá-la de uma depressão nervosa passageira. Proibida de fazer qualquer esforço físico e mental, a protagonista fica obcecada pela estampa do papel de parede do seu quarto e acaba enlouquecendo de vez. Charlotte Perkins Gilman participou ativamente da luta pelos direitos das mulheres em sua época e é a autora do clássico tratado Women and Economics, uma das bíblias no movimento feminista. Esta edição de O papel de parede amarelo, que chega às livrarias pela José Olympio, traz prefácio da filósofa Marcia Tiburi.

Ficha Técnica

O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: O Papel de Parede Amarelo – Skoob

Titulo Original: The Yellow Wallpaper – Goodreads

Autora(s): Charlotte Perkins Gilman

Tradução: Diogo Henriques

Editora: José Olympio (Grupo Editorial Record)

Ano: 2016

ISBN: 978-85-03-01272-0

Número de páginas: 110

Sobre a Autora

O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMCharlotte Perkins Gilman foi uma grande romancista Americana; também escritora de contos, poesia e não-ficção e uma palestra sobre reforma social. Ela era uma utopista feminista em uma época em que suas ações não condiziam com as atitudes das mulheres, e serviu de modelo para futuras gerações feministas por causa de seus conceitos não ortodoxos e seu estilo de vida. O seu trabalho mais famoso é seu conto semi-autobiográfico O Papel de Parede Amarelo.

 

Opinião da Nathy

Eu não tinha ouvido falar ainda desse livro. Mesmo sendo tão famoso e conhecido. Sim, ainda que seja um clássico eu não o conhecia. E pela a capa não achava que condizia muito com o estilo de leitura que geralmente faço. Isso até iniciar a leitura. Então percebi sim que é bem o estilo de livro que gosto. Nos últimos tempos tenho lido muito sobre a luta das mulheres. E esse livro abre ainda mais a mente para diversas questões. Inclusive do quanto as mulheres sofriam e conseguiram se libertar de muitas amarras. Ainda tem muitos paradigmas que devem ser quebrados.

O papel de parede amarelo relata a história de uma mulher do século XIX. Ela tem uma doença que não foi bem diagnosticada. Seu marido um médico renomado afirma que ela está apenas tendo uma crise de nervos. Tudo o que necessita é ficar deitada o dia inteiro. Sem fazer absolutamente nada para não se cansar. Tudo isso morando por um tempo em um local isolado. Um ambiente na qual a mulher não gosta e ainda se sente mais sufocada. Ao passar do livro ela consegue perceber alguns padrões. E luta para se livrar do que está lhe causando tanto mal.

A narrativa tem mudanças em alguns pontos. Na apresentação e no posfácio é em terceira pessoa. Na qual é narrado a história da própria escritora e a sua luta no movimento feminista. E no momento em que está sendo relatado a história da mulher com seu marido é em primeira pessoa. Eu achei que a escrita foi bem descontraída. Pelo período na qual foi escrita estava esperando por algo mais denso e complexo. Mas, tudo é de fácil compreensão. O leitor consegue se identificar com a angústia da mulher. Por tudo o que está passando.

Ora, toda mulher conhece o papel de parede amarelo e seu bizarro padrão.

A cada relato da mulher quando olhava o papel de parede em seu quarto me deixava angustiada. Porque estava visível a causa de seu sofrimento. Contra o que estava lutando. Porque estava se sentindo cansada e fatigada em todos os momentos. A luta interna que estava vivenciando não era algo fácil. Na nossa sociedade atual não é fácil para a mulher. No século XIX era ainda pior. Não tinha voz para nada. Quando abria a boca para algo era tido como uma brincadeira. Como se fosse uma criança querendo parecer adulta na sociedade. E no momento final dela eu vibrei bastante. Como se todas as mulheres estivessem mesmo unidas afirmando que não iriam mais nos prender em nenhum lugar. Que agora tínhamos a nossa voz.

O marido dela é representado como se fosse o melhor homem do mundo. Que estava apenas preocupado com a esposa. No entanto, fazendo apenas as suas vontades. É perceptível em cada uma das linhas como esse tipo de relacionamento é enraizado na sociedade. Quando muitos homens acreditam que as mulheres servem apenas para lhe dar prazer. Para estar a sua disposição. E que precisamos de sua permissão para cada passo que der. Enquanto, era visto como um marido perfeito cuidando da esposa. Conseguia apenas pensar que ela estava dentro de um relacionamento abusivo. Pois, nem mesmo do filho podia cuidar porque ele não deixava.

Como seria bom se John me levasse embora daqui.

Muitas coisas abordadas no livro é vista hoje em dia. Como ainda não quebramos esse paradigma da visão da mulher na sociedade. A sua importância como se fosse ser sempre inferior ao homem. Algo que foi falado da mulher sendo vista apenas para casar e ter filhos. Aquelas que optavam por carreiras não eram consideradas bem sucedidas em seu lares. Em reuniões de família nunca me perguntam como está meu consultório ou se estou fazendo alguma especialização. Mas, sempre questionam como estão “os namorados”. Como se isso fosse o centro da minha vida. Como se nada mais importasse.

Esse livro é recomendado para todas as pessoas. Uma forma de abrir a mente para o mundo que vivemos. E como podemos fazer as mudanças. Não ficar presos no que a sociedade está impondo.

Quote Favorito

O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

A capa não chamou a minha atenção em um primeiro momento. Porém, ela condiz muito com o livro. Parece mesmo um papel de parede e na forma como a principal o descreve. Com as mulheres por trás do primeiro plano. O amarelo com o preto também traz algo mais sombrio. Uma temática mais séria sendo abordada. Depois da leitura eu gostei muito mais da capa.

O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

A diagramação é simples. Cada capítulo inicia em uma nova página. No entanto, não tem uma demarcação no inicio de cada um deles. As páginas são amarelas e grossas. Não tive problemas com a tradução/digitalização.

Nota da Nathy

O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM O Papel de Parede Amarelo - Charlotte Perkins Gilman - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Onde Comprar

O livro é uma cortesia da Grupo Editorial Record. A resenha realizada aponta os pontos positivos eou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.