Ligeiramente Pecaminosos – Mary Balogh – #Resenha

Home/Livros/Resenhas/Ligeiramente Pecaminosos – Mary Balogh – #Resenha

Sinopse: Em meio à Batalha de Waterloo, lorde Alleyne Bedwyn é ferido e dado como morto pela família. Ao acordar, ele se vê no quarto de um bordel sem lembrar quem é ou como foi parar ali. Sua única certeza é que deseja conquistar o coração do anjo que cuida dele todo dia.

Contudo, assim como ele, Rachel York não é quem parece. Depois de enfrentar uma situação difícil, que a levou a viver numa casa de pecados, agora a bela e inteligente jovem precisa recuperar seu dinheiro e as economias das amigas prostitutas, roubados por um falso clérigo. E o belo soldado de quem vem cuidando parece perfeito para se passar por seu marido e ajudá-la em seus planos.

Porém, apesar de ter perdido a memória, Alleyne não perdeu nada de sua sedução. De volta a Londres, os dois se envolvem em um escândalo pecaminoso e, a cada beijo, esquecem que seu relacionamento é apenas uma farsa e ficam mais perto de se entregar à paixão.

Neste quinto livro da série Os Bedwyns, Mary Balogh apresenta um romance repleto de humor, com personagens carismáticos que o leitor não conseguirá abandonar ao fim da história. Primeiro Capítulo.

Ficha Técnica

Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMTitulo Nacional: Ligeiramente Pecaminosos Skoob

Titulo Original: Slightly Sinful – Goodreads

Autora: Mary Balogh

Tradução: Ana Rodrigues

Editora: Arqueiro

Ano: 2016

ISBN: 978-85-8041-617-6

Série: Os Bedwyns | Volume: 05

Número de páginas: 271

Sobre a Autora

Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMMary Balogh nasceu e foi criada no País de Gales. Ainda jovem, se mudou para o Canadá, onde planejava passar dois anos trabalhando como professora. Porém ela se apaixonou, casou e criou raízes definitivas do outro lado do Atlântico. Sempre sonhou ser escritora e tinha certeza de que, no dia em que escrevesse um livro, ele seria ambientado na Inglaterra do Período da Regência. Quando sua filha mais nova tinha 6 anos, Mary finalmente encontrou tempo para se dedicar ao antigo sonho. Depois de três meses escrevendo na mesa da cozinha, a primeira versão de sua obra de estreia estava pronta. Publicada em 1985, deu a Mary o prêmio da Romantic Times de autora revelação na categoria Período da Regência. Em 1988, depois de vinte anos de magistério, ela passou a se dedicar apenas aos livros. Hoje Mary Balogh é presença constante na lista de mais vendidos do The New York Times e vencedora de diversos prêmios literários.

Opinião da Nathy

Tenho um sério problema com essa série da Mary Balogh. Tem alguns que amo e outros que odeio. E esse entrou para a lista dos indiferentes. Não consegui me conectar com os personagens. Estava esperando por algo mais dramático e emocionante. Mas, no final ficou para o lado da comédia e supérfluo. Claro que isso foi a visão que tive durante a leitura. Meu desejo de que os sentimentos dos personagens tivessem sido mais trabalhados. Não consegui acreditar no casal. E os momentos engraçados nem eram tão divertidos. Depois de uma grande evolução com a série estava esperando algo maravilhoso com esse livro. Mas, infelizmente não funcionou.

Ligeiramente Pecaminosos conta a história de Alleyne Bedwyn e Rachel York. Ele sofreu um grave ferimento na Batalha de Waterloo. Após recobrar a consciência se vê diante de um grande problema. Não consegue se lembrar de quem é. Se tem família ou esposa. E o que estava fazendo no meio de toda a batalha. Tudo o que sabe é que está com medo de descobrir a verdade. Mesmo que seu anjo salvador esteja disposta a ajudá-lo no que for preciso. Rachel está vivendo com suas amigas em um local de péssima reputação. Sabe como é vista pelas as outras pessoas. Mas, não se importa. Tudo o que pensa é no bom coração de suas amigas. Quando ela é enganada Rachel pede a ajuda de Alleyne para conseguir pegar o responsável. E desse jeito conseguir ajudar suas amigas. Porém, nada funciona como eles esperam. Ainda mais quando a atração entre eles fica mais forte.

A narrativa é em terceira pessoa. Focando nos dois principais personagens. O que facilita bastante para o leitor. No entanto, eu achei um pouco cansativa. Teve momentos que parecia que a leitura estava se arrastando demais. Estava caminhando para lugar nenhum. Porque nada que estava sendo explorada ou falado importava de verdade. O que estava esperando acontecer de fato ocorre nas últimas páginas e de modo simples. Fiquei muito incomodada com esse livro.

-Ele estava completamente despojado.

A Rachel é tida como uma garota geniosa e muito inteligente. Porém, eu apenas via a sua ingenuidade. Todas as suas ações foram baseadas em seus medos e culpas. Nada do que estava fazendo era porque desejava. Mas, porque acreditava ser a vontade das outras pessoas. Não consegui gostar dela. Passou por situações complicadas. No entanto, poderia ter resolvido facilmente se tivesse conversado. Se tivesse usado as palavras esclarecia toda a situação. E não viveria de um modo tão difícil. Mas, se escondia atrás da raiva e da submissão. Como se aceitasse que aquele era seu destino. Não fazia nada para mudar sua vida.

Estava esperando ver um Alleyne leve e um pouco dramático. Sim, seria possível colocar as duas coisas em um personagem. Mas, ele na verdade me pareceu alguém sem nenhuma vida. O que me incomodou bastante. Gosto quando me apaixono completamente pelos mocinhos. Quando com seu jeito descontraído chega perto da mocinha. Nesse caso ele não fazia nem questão de estar perto dela. Não me lembrou em nada a sua família. Até mesmo pensava que poderia ser outra pessoa. Eles que estavam se enganando pensando que o homem fosse o Alleyne. Não me lembrava aquele homem dos outros livros. Fiquei bem decepcionada.

O romance dos dois inclusive não é bem desenvolvido. Não vi química nenhuma entre o casal. Mesmo que o Alleyne ficasse falando que ela era um anjo. Que deveria estar no paraíso e tudo mais. Não via nem mesmo desejo entre os dois. Tem cenas mais quentes entre os dois, bem poucas. O que foi um alivio. Porque na minha visão não fazia sentido. Ele poderia vê-la apenas como a pessoa o salvou e ponto. Não precisava ter ido tão longe. Porque na minha visão não existia nem amor e nem paixão.

-Não havia palavras para expressar o que sentia.

Tem um personagem que parecia ser o vilão o tio de Rachel. Do jeito que a menina falava dele parecia ser a coisa mais ruim de todas. Um homem sem coração que foi capaz de abandonar a própria irmã. E que nem queria saber da sobrinha. Apenas queria ficar com o dinheiro para si mesmo. Já estava preparada para odiar o homem. Porque o que geralmente ocorre nesses livros. Mas, no final apenas sentia pena dele. E queria que Rachel enxergasse o quanto estava errada em suas ideias.

As amigas dela eram para trazer uma leveza ao livro. Tentavam ser engraçadas e divertidas. Sempre cuidando para que tudo desse certo na vida de Rachel. Mas, sério não conseguia soltar uma risada com as frases delas. Pareciam que não levavam nada a sério em sua vida. Como se o que ocorreu com todas era uma grande piada. Não me conectei com nenhuma delas. Estava quase era me irritando com tudo.

-Vocês devem ir para Londres na minha frente

Se começou essa série eu recomendo que vá até o final. Porque tem alguns romances muito bons no caminho. Histórias que realmente me cativaram. Talvez o momento em que li também não tenha sido o certo. Para quem gosta de romance história acredito que seja uma boa série. Nada magnifico, mas legal.

Quote Favorito

Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Capa e Diagramação

Algo que não reclamo dessa série são as capas. Eu gosto muito delas. Dessa vez a menina tem um jeito inocente. Bem no estilo que Rachel é descrita. Porém, tem um profundo vazio em seus olhos. Como se nada importasse. Combinando muito bem a situação. Também gostei da cor do nome do livro ficou bem chamativa. Ainda que destoe do restante da capa. O nome da autora tem seu destaque sem roubar a cena o que é importante.

Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

A diagramação é simples. Cada capítulo inicia em uma nova página. Tem uma marcação quando ocorre mudanças de cenas dentro do mesmo capítulo. As páginas são amarelas e grossas. Não tive problemas com a tradução/digitação.

Datas de Lançamento

  • One Night for Love – Os Bedwyns Prequel#1 –  Não há previsão de lançamento no Brasil
  • A Summer to Remember – Os Bedwyns Prequel#1 – Não há previsão de lançamento no Brasil
  • Ligeiramente Casados – Os Bedwyns #1 – Lançado em 2014 – Resenha
  • Ligeiramente Maliciosos – Os Bedwyns #2 – Lançado em 2015 – Resenha
  • Ligeiramente Escandalosos – Os Bedwyns #3 – Lançado em 2015 – Resenha
  • Ligeiramente Seduzidos – Os Bedwyns #4 – Lançado em 2016 – Resenha
  • Ligeiramente Pecaminosos – Os Bedwyns #5 – Lançado em 2016
  • Slightly Dangerous – Os Bedwyns #6 – Não há previsão de lançamento no Brasil

Nota da Nathy

Ligeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMLigeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMLigeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMLigeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COMLigeiramente Pecaminosos - Mary Balogh - #Resenha | OBLOGDAMARI.COM

Onde Comprar

O livro é uma cortesia da Editora Arqueiro. A resenha realizada aponta os pontos positivos eou negativos de forma sincera, encontrados pela autora do post durante a leitura do livro. A opinião da autora é pessoal e independente da editora.

About the Author:

Nathalia Garcia - A Nathy! Tem 26 anos e é formada em Psicologia. Seu maior vício são os livros, ela sempre está se arriscando em um novo desafio literário. Romances policiais são os seus favoritos. Nos últimos anos também se tornou uma apaixonada por séries. Once Upon a Time e Criminal Minds são algumas das suas séries prediletas.

3 Comments

  1. lanawesley 23 de dezembro de 2016 at 15:11 - Reply

    E uma pena que a história desse livro, não tem tinha envolvido, e por isso você não tenha gostado tanto da leitura. Vejo que a premissa do livro e bacana, e por isso achei que o desenvolvimento da trama teria umas amarrações legais em questão dos personagens. Enfim, me pareceu ser uma leitura bacana, porém no momento talvez não leria, quem sabe futuramente.

  2. Nayara Souza 19 de dezembro de 2016 at 20:44 - Reply

    Atualmente estou lendo a série Os Bridgertons estou perdidamente apaixonada por romances de época. Quando eu terminar estava pensando em iniciar a leitura na série Os Bedwyns, mas agora não estou tão certa sobre isso, odeio casais “vazios”, perde toda a graça do gênero Romance.

  3. Ju Zanotti 9 de novembro de 2016 at 14:55 - Reply

    Mari, estou lendo esse livro e vim ler sua resenha esperando encontrar algo que me animasse para continuar a leitura, agora tudo o que eu quero é sentar e chorar. Não cheguei a parte em que eles fazem o plano ainda, o que já está demorando demais, e esperava tudo melhorasse, mas não estou conseguindo me conectar com a história. Parece mais do mesmo. Como se a autora tivesse pegado a forma da história dos outros irmãos e inventado um coisa diferente para Alleyne com a falta de memória só para parecer que é outra história. Sem contar que eu não esperava que ele fosse recuperar a memória só lá pelo fim, o que parece que é o que vai acontecer, poxa estou sentindo tanta falta dos outros irmãos 🙁

Os comentários são previamente moderados, mas eles são muito importantes para nós! Então comentem! =)